A Polícia Judiciária Civil encaminha nesta terça-feira (12.11), ao Fórum de São José dos Quatro Marcos o inquérito policial do assassinato da jovem Andressa Helen Antunes Cabral, 17 anos, ocorrido no dia 29 de setembro deste ano. O crime foi cometido pelo caminhoneiro Everaldo dos Santos da Silva, 29, indiciado por estupro, homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

O corpo da adolescente foi encontrado no dia 4 de novembro, em estado avançado de  decomposição, numa região de serra, nas proximidades da localidade conhecida por Cacho, entre as cidades de Cáceres e Mirassol D’Oeste.

O caminhoneiro foi preso em Goiânia (GO), com apoio da Delegacia Estadual de Investigações Criminais e transferido na semana passada para São José dos Quatro Marcos. Com ele, a Polícia encontrou o aparelho de celular da vítima, confirmando ser ele a última pessoa que teria estado com a jovem. O preso alegou que comprou o celular de um traficante na cidade. “Por isso pedimos a prisão temporária e busca na residência, onde estava o celular da vítima. O rastreamento do celular deu em Goiana”, disse a delegada Anamaria Machado Costa, responsável pelas investigações.

Leia também:  Governo paga servidores da ativa nesta segunda-feira (10)

De acordo com a delegada, a notícia do desaparecimento da jovem foi comunicada na Delegacia no dia 29 setembro, pela família da adolescente, que informou que a garota havia saído na noite anterior para ir a um show sertanejo e não havia voltado para casa.

A princípio, a Polícia iniciou as investigações com hipótese de crimes de sequestro ou cárcere privado ou tentativa de roubo, pois a mãe da adolescente havia recebido uma mensagem na madrugada do dia 29 de setembro, dizendo que a filha tinha sido sequestrada. “A partir dessas informações iniciamos as diligências para esclarecer o seu desaparecimento”, disse a delegada.

No mesmo dia, policiais civis fizeram contato com familiares e amigos da vítima, até que chegaram ao caminhoneiro Everaldo dos Santos da Silva, em um frigorifico local, apontado como a última pessoa que teria estado com Andressa. Na ocasião, o suspeito, que havia feito uma entrega na cidade, alegou aos policiais que não conhecia a vítima, que conversou por poucos instantes com a garota no show e com outras pessoas próximas a ela.

Leia também:  Acidente envolvendo três carros chama a atenção na região do Santa Marta

O caminhoneiro também disse que teria emprestado seu celular para a adolescente ligar a uma amiga, por volta das 03h09, e que depois disso não a viu mais e nem soube notícias suas. “Ele de forma fria e calculista, disse aos policiais ainda que estaria à disposição para prestar quaisquer esclarecimentos”, contou a delegada. .

Em investigações de campo, a Polícia Civil refez todos os trajetos possíveis realizados por Everaldo no dia do crime, culminando com a localização do cadáver de Andressa, na região de serra. Porém, o caminhoneiro já estava fora do Estado de Mato Grosso.

De acordo com a delegada, no curso da investigação outro suspeito surgiu, mas logo foi descartado. “Em face da localização do cadáver, já com provas técnicas nos autos, uma equipe policial se deslocou até Goiânia e recambiou o caminhoneiro para São José dos Quatro Marcos”, disse a delegada.

Conforme a delegada, durante a viagem, o caminhoneiro continuava negando o crime. No entanto, acabou confessando depois que soube que a Polícia havia localizado o corpo da vítima. “Ele só confessou quando na cidade de Cáceres, exibimos os pertences da vítima, na Politec, informamos o encontro do cadáver de Andressa, momento que acabou por confessar a autoria da morte de Andressa, explicando os pormenores dos fatos em seu interrogatório”, detalhou Anamaria.

Leia também:  Itiquira | 'Boca de fumo' comandada por adolescentes é fechada pela Polícia

Para a delegada , o suspeito pode ter praticado crimes semelhantes em outros estados. “Diante do que fora colhido nas investigações e pelo comportamento apresentado pelo criminoso ele pode ter cometido crimes em outros estados”, explica. “Estamos à disposição das policias para prestar apoio necessário a eventual delito praticado pelo mesmo”, completa.

O suspeito é natural do estado da Bahia e tinha residência fixa na cidade de Goiânia (GO), onde morava com a família e dois filhos. Ele também confessou ser usuário de cocaína.

A delegada também agradeceu ao apoio da Diretoria de Interior e da Regional de Cáceres, sob a direção dos delegados Aldo da Silva Costa e Elisabete Garcia dos Reis, respectivamente, durante as investigações e ainda ao Ministério Público, Poder Judiciário, e a DEIC/GO, pelas diligências realizadas naquele Estado. “Também a toda equipe de policiais de São José dos Quatro Marcos pelos esforços e dedicação no caso Andressa”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.