O desempenho da inflação em dezembro será ditado pelos combustíveis, de acordo com o coordenador dos Índices Gerais de Preços (IGPs) da Fundação Getulio Vargas (FGV), Salomão Quadros. Segundo ele, se houver um reajuste no diesel e na gasolina, a inflação em dezembro poderá ultrapassar os valores registrados no mesmo mês do ano passado, levando o indicador acumulado em 12 meses a um patamar superior ao visto em novembro. Caso contrário, a tendência, segundo ele, seria de leve desaceleração.

“Não vou arriscar um número porque seria exercício de futorologia. Mas podemos dizer que se não houver o reajuste dos combustíveis a inflação ficará um pouco abaixo do patamar atual e, se houver, ficará acima, mas o quanto acima vai depender do tamanho do aumento”, resumiu Quadros.

Leia também:  Dia da Liberdade de Impostos será marcado pela venda de etanol mais barato

Nos 12 meses encerrados em novembro, o IGP-M, que mede a inflação entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência, subiu 5,6%. O indicador registrou forte desaceleração entre outubro e novembro, com sua alta sendo reduzida de 0,86% para 0,29% no período. O fim do ciclo de pressão sobre os preços no atacado, motivado pela alta do dólar no começo do segundo semestre, afirma Quadros, explica a forte desaceleração do IGP-M neste intervalo. Em dezembro de 2012, o IGP-M avançou 0,68%.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.