Do total de 1,5 milhão de calouros nas faculdades privadas em 2012, ao menos 531,7 mil (35,2%) fizeram o Enem para ter acesso ao ensino superior.

São estudantes beneficiários do Prouni (programa que concede bolsa a alunos de baixa renda) ou Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), que exigem o exame como pré-requisito para adesão.

Os números consideram as matrículas em cursos presenciais. Os candidatos ao financiamento também precisam fazer o processo seletivo da instituição para ingressar no curso desejado.
Para o governo, o dado reforça o caráter de “vestibular nacional” do Enem.

O esforço do MEC para universalizar a prova teve início em 2009. Naquele ano, o exame foi alterado e a pasta sugeriu às universidades federais a substituição do vestibular tradicional pelo Enem, criado em 1998.

Leia também:  Homem faz mulher e filhas de reféns por não aceitar fim de relacionamento

O objetivo era facilitar o acesso de alunos da rede pública ao ensino superior –ao fazer uma única prova, eles poderiam concorrer a vagas de diversas instituições.

“Os percentuais [de adesão ao Enem] estão evoluindo numa velocidade muito rápida”, disse o ministro Aloizio Mercadante (Educação).

Hoje, todas as universidades federais consideram a nota na prova em sua seleção.

Presidente da ABMES (Associação Brasileira das Mantenedoras de Ensino Superior), Solón Caldas acredita que um “percentual grande” das privadas já utiliza o Enem em seu processo seletivo.

Ele pondera, no entanto, que exigir a prova para o acesso aos programas contribui para aumentar seu peso. “Não deixa de ser um artifício do governo para forçar o aluno a fazer o exame.”
Essa é a primeira vez que o MEC mapeia o modelo de ingresso nas instituições públicas e privadas.

Leia também:  Horário de verão pode chegar ao fim ainda este ano

O levantamento não aponta o total de candidatos, inclusive os pagantes, que ingressaram nas privadas por meio do Enem –apenas os beneficiários de programas.

PUBLICAS

De acordo com os dados repassados pelas instituições ao MEC, pouco mais da metade dos ingressos em universidades e institutos federais em 2012 considerou o desempenho no Enem.

Do total de 277.501 ingressos em cursos presenciais dessas instituições, 143.265 (51,6%) usaram o exame.

Reportagem publicada no ano passado com base em dados preliminares mostrou que quase 91% das vagas nas universidades federais ofertadas no final de 2012 poderiam ser disputadas com auxílio do exame.

Nas estaduais, a presença do Enem é bem menor: apenas 4,9% dos ingressos consideraram a nota no Enem.

Leia também:  Sérgio Cabral será transferido para penitenciária de segurança máxima em MS

Neste fim de ano, a expectativa é que cerca de 25 mil vagas adicionais sejam ofertadas no Sisu, sistema de seleção unificada que usa o Enem para preencher vagas nas instituições públicas.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.