Antes de se entregar a Polícia Federal de São Paulo, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu afirmou que sentirá muita falta de ficar com seus filhos, mas que não estava conformado com a decisão da Justiça.

“Estou tranquilo, mas indignado”, disse.

Dirceu preferiu passar as últimas horas de liberdade em sua casa na cidade de Vinhedo (SP), acompanhado de três de suas ex-mulheres e os filhos Zeca, Camila, Joana e Maria Antônia.

Preocupado com a saúde, acordou cedo no dia em que o STF (Supremo Tribunal Federal) decretou sua prisão imediata pelo envolvimento no esquema do mensalão.

Fez a leitura do noticiário e falou com amigos por telefone. O ex-presidente Lula conversou com o ex-ministro anteontem, mas Dirceu preferiu reservar quanto ao que foi dito por ele.

Leia também:  Representante na capital

Após o almoço, em que comeu salada e picanha, Dirceu arrumou a mala que levará à prisão. Nela, dois livros –a biografia do ex-presidente Getúlio Vargas, escrita por Lira Neto, e “O capital e suas metamorfoses”, do economista Luiz Gonzaga Belluzzo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.