O título? Passou por pouco em 2008. Mas Felipe Massa tem seu lugar marcado na história da Ferrari. E o fim de semana em Interlagos foi a prova disso. Os últimos dias correndo com o carro vermelho antes de se juntar à Williams para 2014 ficarão marcados para sempre na mente do piloto.

Com uma série de homenagens, a escuderia de Maranello demonstrou todo o carinho a um filho querido que “sairá de casa” após doze anos no time, oito como titular. Primeiro, Massa ganhou um macacão estilizado com traços de seu capacete; ao sair dos boxes, foi aplaudido por uma fileira de mecânicos; após a corrida, foi cumprimentado por todos os funcionários presentes no circuito, um por um, que vestiam uma camisa “Obrigado, Felipe”. No fim, um brinde, pelos anos de “Família Ferrari”. Cenas que surpreenderam o próprio piloto, que lembrou que em 2006, a equipe não fez algo parecido nem para um “tal” alemão heptacampeão, que dava adeus à escuderia e às pistas após conquistar cinco títulos com o macacão vermelho.

Leia também:  Cuiabá apresenta elenco visando temporada 2018

– Ainda não caiu a ficha. Ainda faz parte. Acabei de fazer a última corrida pela equipe. Por tudo aquilo que aconteceu, foi uma despedida bacana para os dois lados. Tive uma surpresa com o que toda a equipe fez por mim durante o fim de semana. A Ferrari – que é a equipe mais famosa do automobilismo, o carro de rua mais famoso – fazer isso por um piloto, é emocionante. Isso não aconteceu nem com o Schumacher, o piloto que mais correu pela Ferrari, que mais venceu pela Ferrari – disse Massa, segundo piloto que mais defendeu a equipe (139), atrás apenas de Schumi (180), e quarto maior vencedor (11), perdendo apenas para o alemão (72), para Niki Lauda (15) e Alberto Ascari (13).

Leia também:  Atletas de Rondonópolis se destacam em competição nacional

Massa também retribuiu o carinho à Ferrari. O capacete cor “vermelho Ferrari” foi ideia dele. O piloto também convidou os membros da escuderia para um grande jantar em sua casa, no sábado. Além disso, brindou cada um com chinelos personalizados, mostrando que apesar do fim da união, piloto e equipe estarão ligados afetivamente para sempre.

– É uma emoção muito grande. Estou muito feliz por tudo aquilo que a gente passou junto, por todos os amigos que eu fiz. Vamos continuar sendo amigos daqui para frente também. Não é porque não vou mais correr pela Ferrari que isso vai mudar – celebrou o piloto que, após 12 anos tento vínculo com a Ferrari, oito deles como piloto titular, terá um novo desafio em 2014, com a Williams.

Leia também:  Cuiabá, Sinop e Sorriso lideram ranking estadual de tênis de MT

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.