No próximo dia 25 de novembro será comemorado o Dia Estadual de Combate à Violência Doméstica contra a Mulher. A lei visa assegurar a realização de palestras, simpósios e encontros, com intuito de difundir junto à sociedade mecanismos para tornar mais eficiente o atendimento às mulheres vitimas dessa violência.

Levantamento realizado pela Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso (SESP), mostra que o número de denúncias de violência contra mulheres tem crescido assustadoramente. Já os dados divulgados pelo Ministério da Saúde apontam Mato Grosso na 9ª posição do ranking nacional de homicídios femininos para cada grupo de 100 mil mulheres.

Conforme o Anuário das Mulheres Brasileiras, o local em que as mulheres mais sofrem violência é dentro de casa. Entre violência física e psicológica, como xingamentos e humilhações. Para o deputado Ezequiel Fonseca (PP),autor da lei, esse cenário precisa ser mudado. “É necessário estimular o número de campanhas de incentivo a denúncia, a lei busca fortalecer a realização dessas ações”.

Leia também:  Mortes envolvendo motociclistas teve queda de 67% nas BRs-163 e 364

Segundo ele, as mulheres devem se manter firmes quanto à necessidade de responsabilização de seus parceiros pelos atos que praticaram. Como a maioria dos casos ocorre em casa e com seus parceiros, Ezequiel salienta a importância da segurança pública se aproximar da comunidade para tentar identificar as agressões, pois o medo sentido por elas as impedem de denunciar.

“Vamos reforçar as estratégias  de prevenção, punição e erradicação da violência”, finalizou.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.