Nesta edição, analistas de Safras & Mercado esclarecerão dúvidas dos produtores rurais e conduzirão uma pesquisa a campo para traçar o perfil do produtor rural no país - Foto: Eduardo Ongaro
Nesta edição, analistas de Safras & Mercado esclarecerão dúvidas dos produtores rurais e conduzirão uma pesquisa a campo para traçar o perfil do produtor rural no país – Foto: Eduardo Ongaro

A 2ª edição da Expedição Soja Brasil, promovida pela Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja-Brasil) com o apoio de parceiros foi lançada no dia 27 de outubro e segue até março de 2014, visitando lavouras de todo o país.
A expedição que deve passar por 13 estados, chegou ao Mato Grosso no dia 28/10 e segue até o dia 08/11, passando por 15 cidades polo, abordando temas diferentes, de acordo com as características de cada município.
Hoje (05) foi a vez de Campo Verde, receber a expedição que tratou da praga Helicopverpa, presente em grande parte das lavouras campo-verdenses e sobre a agricultura de precisão, adotada por cerca de 90% dos produtores do município.
Realizado, no estado, pela parceria entre Aprosoja, Canal Rural e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), a expedição visitou as propriedades rurais Fazenda Iguaçu e Novo Horizonte prestando consultoria aos produtores e levantando suas demandas.
“Os temas abordados pela expedição são de suma importância, por abordarem temas pertinentes aos produtores da região como é o caso da Helicoverpa que preocupa a todos os produtores e a agricultura de precisão muito praticada no município”, relata o engenheiro agrônomo, Rodrigo Stechow. “A visita ao município o coloca em evidência no cenário brasileiro. Escuta as lideranças locais que levam a tona as reivindicações e demandas dos produtores locais”, declara o agrônomo. “Considero que o mais importante é o intercâmbio de informações entre produtores de todo o Brasil, proporcionado pela expedição”, destaca.
Nesta edição, analistas de Safras & Mercado esclarecerão dúvidas dos produtores rurais e conduzirão uma pesquisa a campo para traçar o perfil do produtor rural no país.
“As lavouras campo-verdense estão muito bem estabelecidas, com stands muito bons, sem nenhum sintoma de toxidez, crescimento bom, os produtores têm bastante informação sobre o controle da Helicoverpa. Ainda é cedo para afirmar se haverá aumento na produção, mas o plantio ocorreu no tempo esperado. Não faltou chuva”, avalia o agrônomo Áureo Lantmann.

Leia também:  Rodovias federais de MT terá reforço de fiscalização durante feriado de 7 de setembro
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.