Sete em cada dez pessoas no Brasil dizem não confiar na polícia. É o que mostra uma pesquisa feita pela Faculdade de Direito da FGV em São Paulo apresentado nesta terça-feira (5). O número é 8,6 pontos porcentuais acima do registrado no primeiro semestre de 2012, quando 61,5% da população disse não confiar na polícia.

O estudo faz parte da sétima edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública. O levantamento ouviu 6.600 pessoas durante um ano, entre 2012 e este ano. Os dados foram coletados por meio de entrevistas feitas em sete Estados — AM, PE, BA, SP, MG, RJ, RS — e no Distrito Federal.

São Paulo é o Estado que pior remunerou delegados em 2012

Os pernambucanos são aqueles que menos confiam na polícia. Segundo o levantamento, 27% dizem que acreditam no trabalho da Polícia Militar e 25% no da Polícia Civil do Estado.

Leia também:  Assessora parlamentar é presa acusada de esquartejar o marido com a ajuda do amante

A Bahia é o Estado onde as pessoas entrevistadas mais confiam do trabalho das forças de segurança. Mais da metade dos baianos, 54%, dizem acreditar na Polícia Militar, enquanto 50% confiam na Polícia Civil.

Nos Estados Unidos, o Instituto Galloup mostrou que apenas 12% das pessoas desconfiam da atuação da polícia no país. O número é similar ao registrado no Reino Unido.

“Não dá para tapar o sol com a peneira. Esses números mostram uma falência total do modelo de política de segurança pública. É preciso realizar diversas mudanças.”, disse Renato Sérgio de Lima, coordenador do Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

Luís Flávio Sapori, coordenador do Centro de Pesquisa em Segurança Pública da PUC-MG, acredita que é necessário atuar em duas frentes, uma emergencial e imediata e outra a médio e longo prazo.

Leia também:  PMs são presos acusados de agredir e assaltar soldado do exército

“Os Estados precisam se apoiar em conceitos que vem dando certo como a UPP [Unidade de Polícia Pacificadora] que podem ser instaladas no curto prazo. No longo prazo é preciso aumentar a capacidade prisional e reformar, entre outras coisas, o Código de Processo Penal que está obsoleto”, disse

A pesquisa da FGV incorporada pelo Anuário aponta que as Forças Armadas são a instituição de segurança que os brasileiros julgam mais confiável. No total, 34% dos entrevistados não confiam no Exército, na Aeronáutica e na Marinha.

O levantamento diz ainda que 95% dos entrevistados reprovam os partidos políticos. Outros 79% reprovam o Congresso Nacional. A pesquisa tem uma margem de erro de 2,5% para mais ou para menos.

De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, durante um ano, 1.890 pessoas morreram em confronto com policiais. O número é quase quatro vezes superior ao registrado nos Estados Unidos, por exemplo.

Leia também:  Chefe de gabinete com carro oficial faz vídeo a mais de 210 km/h em SP

DELEGADOS

Conforme antecipou a Folha na edição de hoje, o Anuário Brasileiro de Segurança Pública mostrou também que apesar de ter o maior número de delegados de polícia do país, com mais de 3.000 na ativa, São Paulo foi o Estado que pior remunerou o profissional em início de carreira em 2012.

Enquanto um delegado em Mato Grosso recebeu, em 2012, R$ 18.837,00, o mesmo profissional em São Paulo ganhou quase um terço disso, R$ 6.709,32 –entre salário bruto e gratificações.

Os números que compõem o documento foram recolhidos de bases de dados da Secretaria de Segurança Nacional, do Ministério da Justiça.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.