Representantes da Polícia Militar (PM), Polícia Judiciária Civil (PJC), Corpo de Bombeiros e o Conselho Municipal de Segurança Pública (Conseg), se reuniram nesta sexta-feira (08), para discutir o alto número de homicídios e roubos.

De acordo com o comandante Regional da Polícia Militar, coronel Walter Silveira dos Santos em 2012 foi traçado um plano de três anos para diminuição dos índices de homicídios no Estado.

O plano é a nível Mato Grosso e dividido em partes, a fatia que engloba Rondonópolis tem outras cidades que juntas somam cerca de 350 mil pessoas.

“Para este valor de pessoas foi estabelecido uma meta de 33,6 mortes para cada 100 mil habitantes em 2013, 30,3 em 2014 e 28,5 em 2015, nossa reunião servirá para discutir esses números e se for preciso traçaremos novas metas”, lembrou Walter.

Leia também:  Trio é preso com mais de 200 tabletes de maconha em Cuiabá

Ainda conforme o coronel, apesar do alto índice de homicídios em Rondonópolis, pelo menos 70% das mortes é de pessoas envolvidas na criminalidade e que saíram a pouco tempo do Presídio Major Eldo de Sá Corrêa, a ‘Mata Grande’.

“Rondonópolis está em um ‘bolsão’ de pessoas que tem ligação com o crime, o indivíduo sai da prisão já condenado. Um exemplo recente é o caso do jovem morto em confronto com a PM, ele estava em regime aberto, porém o Estado não proporciona meios de estar controlando esta pessoa, por meio de albergues ou tornozeleiras e eles acabam retornando ao mundo do crime”, finalizou o comandante Regional da Polícia Militar, coronel Walter Silveira dos Santos.

Leia também:  Foragido é preso em Pedra Preta por roubo a comércio em Rondonópolis
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.