Com pouco mais de dois meses em funcionamento, a Havan foi notificada pelo órgão de defesa do consumidor, o Procon, por diversas irregularidades que foram encontradas durante uma fiscalização na empresa que ocorreu na semana passada.

De acordo com o diretor do Procon de Rondonópolis, Juca Lemos, de 40 produtos verificados, quatro deles estavam com preços divergentes.

“10% dos produtos tinham um preço na gôndola e outro no caixa, o que gerou descontentamento por parte de clientes”, pontuou.

Outro aspecto que também foi encontrado é a falta de preço nos produtos. Segundo Juca Lemos, isso deixa o cliente perdido, ou surpreso com o valor da mercadoria no caixa.

Leia também:  Avião cai no Pantanal matogrossense e deixa um morto e outro gravemente ferido

O diretor alertou com relação ao número de reclamações contra a empresa, que apesar de ter tido apenas quatro formalizadas, muitas pessoas ligam para tentar um conciliação.

“Vários consumidores que se sentem lesados pela Havan ligam para saber seus direitos, poucos oficializam e tem aqueles que não reclamam, porém é preciso se atentar a isso já que a loja é nova na cidade”, disse Juca.

Ainda conforme Juca Lemos, a maioria das reclamações são de produtos eletrônicos que estragam em dois ou três dias, por lei a empresa não é obrigada a trocar, ela deve mandar o produto para uma assistência, porém muitas lojas tem uma política de trocas para cativar o cliente, que substitui o produto viciado por um novo. “É lamentável uma empresa que diz que presa pelo bem estar do cliente não ter esse tipo de recurso”, fala.

Leia também:  Inscrições para a 3ª Feciti encerram-se na próxima segunda-feira (31)

O próximo passo do Procon é autuar a empresa, que se comprovar a falha será aplicada uma multa.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.