A comercialização antecipada da safra 2013/14 de soja chega a 33% do volume previsto para ser colhido, bem abaixo do ritmo registrado em um ano atrás, disse nesta segunda-feira (18) a consultoria Safras & Mercado.

No mesmo estágio de 2012, em meio a preços recordes, 48 % da safra estavam vendidos antecipadamente. Naquele momento, os Estados Unidos enfrentavam problemas climáticos que afetaram a produção e fizeram as cotações dispararem.

Agora, com os produtores norte-americanos terminando a colheita de uma safra que deve ser recorde, os preços em Chicago recuaram, arrefecendo o ímpeto de comercialização antecipada por parte dos agricultores brasileiros.

Sobre o relatório de outubro, o avanço foi de apenas 1 ponto percentual, refletindo a pouca atratividade dos preços futuros praticados, salientou a Safras.

Leia também:  Mato Grosso ultrapassa SP e se torna o maior exportador de carne bovina do Brasil

A média histórica para o período é de 28 por cento de comercialização antecipada.

“A decisão de retenção dessa parte final da safra pelos produtores não é uma questão do preço praticado, mas sim da expectativa de que possa haver novos aumentos em função da demanda para exportação acima do esperado”, disse o analista associado da Safra, Flávio França Júnior, em nota.

Em relação à safra 2012/13, colhida no início deste ano, a comercialização chega a 95 por cento, disse a consultoria.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.