As taxas de juros do crédito com recursos livres subiram tanto para as empresas, quanto para as famílias, de acordo com dados do Banco Central (BC), divulgados hoje (19). No caso das pessoas físicas, o aumento ficou em 0,1% para 38,5% ao ano, de outubro para novembro. Para as empresas, a alta foi 0,6% para 21,4% ao ano.

A taxa do cheque especial subiu 1,9%, de outubro para novembro, e ficou em 146,4% ao ano. A taxa do crédito para a compra de veículos subiu 0,4% para 21,2% ao ano. No caso do crédito pessoal, houve queda de 1,6%, de outubro para novembro, para 86,4% ao ano. A taxa do crédito consignado, com desconto em folha de pagamento, caiu 0,5% para 41,7% ao ano.

Leia também:  Agosto registra mais de 35,45 mil novas vagas de trabalho formal no país

A taxa de inadimplência, considerados os atrasos superiores a 90 dias, do crédito com recursos livres, caiu 0,1% tanto para as famílias (6,7%) quanto para as pessoas jurídicas (3,3%).

No caso do crédito com recursos direcionados (empréstimos com regras definidas pelo governo, destinados, basicamente, aos setores habitacional, rural e de infraestrutura), as taxas de juros subiram 0,1% para 7,3% ao ano, para as famílias, e 7,6% ao ano, para as empresas. A inadimplência ficou estável para as pessoas físicas (1,7%) e jurídicas (0,5%).

O saldo das operações de crédito do sistema financeiro chegou a R$ 2,647 bilhões, em novembro, com expansão de 1,5% no mês e 14,5% em 12 meses. A relação entre o saldo e o Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, ficou em 55,6%, ante 55,1% de outubro e 52,9% em novembro de 2012.

Leia também:  Aumenta consumo de combustíveis em MT
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.