O governo da Bolívia aumentou em 500% a o número de operações preventivas contra o tráfico ilícito de drogas em escala nacional em 2013. A informação foi divulgada pelo ministro de Interior boliviano, Carlos Romero, que apresentou hoje (11) um relatório sobre o combate ao tráfico no país, inclusive nas regiões de fronteira.

“Avançamos significativamente na luta contra o tráfico de drogas e isso aparece nos relatórios oficiais do Brasil, dos Estados Unidos, da União Europeia, e das Nações Unidas [ONU]”, disse o ministro boliviano.

Romero comentou que este ano a Bolívia investiu cerca de U$20 milhões em programas especiais para combater o tráfico de drogas. Ele reforçou que o Departamento de Estado americano reconheceu a diminuição “paulatina” da produção de cocaína no país em 18% este ano.

Leia também:  Cubanos entram na Justiça por salário integral e direito de ficar no país

“Washington assegurou que somente 1% da cocaína que entra no território americano é de procedência boliviana”, ressaltou.

No entanto, o ministro advertiu que a Bolívia continua sendo usada como país “trânsito,” na rota do narcotráfico da região, próxima de produtores como o Peru, a Colômbia e o Equador. “Boa parte da cocaína apreendida na Bolívia em 2013 era peruana e tinha como destino o Brasil e a Europa.

Em setembro, por exemplo, a polícia boliviana apreendeu 315 quilos de cocaína de alta pureza que tinha como destino final o território brasileiro.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.