Foto: Yuri Sardenberg
Foto: Yuri Sardenberg

“Comecei a investir em peças de festa em 2002 para ampliar minhas possibilidades na moda: a noite dá ao estilista muito mais liberdade para criar”, conta Carlos Miele, que há 11 anos lançou a grife que leva seu nome, indo além dos jeans e dos looks casuais que eram (e ainda são) marcas registradas de sua M.Officer, fundada nos anos 80. De lá para cá, o paulistano virou sinônimo de roupas glamorosas, usadas por mulheres dos mais diferentes estilos mundo afora – da cantora inglesa Florence Welch, adepta de um visual retrô, à sexy Andrea Dellal.

Nesse período, viu o guarda-roupa feminino mudar drasticamente, inclusive o mais habillé. “Hoje, uma roupa boa de festa precisa percorrer diferentes compromissos seguidos. Os longos mais herméticos, por exemplo, são pouco versáteis e têm cada vez menos espaço no guarda-roupa. Já os separates conquistaram novo status e hoje frequentam tranquilamente eventos mais formais”, analisa.

Neste verão, o carro-chefe de sua coleção são peças metalizadas, dos tecidos aos bordados – a tendência é global e deve permanecer na próxima estação, vide os desfiles para o verão europeu de Lanvin, Givenchy e Dior. Miele também investiu alto nas fendas (outra tendência forte) e no comprimento mídi – o último, uma escolha ousada, já que a brasileira está mais acostumada a extremos (mínis ou longos). “Uma saia mídi fica casual com um suéter, que pode ser tirado na segunda etapa da noite, deixando à vista apenas um top ultrassofisticado”, ensina o estilista. Outro campeão de versatilidade, que faz seu retorno triunfal nesta temporada, é o macacão. “Dependendo do modelo, pode ser usado até num jantar de gala.”

A chave para o sucesso desse look “noite moderna”, como Miele gosta de chamar, são os acessórios. Para quebrar a caretice, sandálias mais pesadas e ankle boots são ótimas opções, assim como clutches bem-humoradas, como as criadas pelas designers Mariasole Cecchi, Charlotte Olympia e Olympia Le-Tan. E qual é o maior inimigo de uma mulher na hora de se vestir? “A falta de tempo: é um erro ela não se programar para se arrumar com tranquilidade.”

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.