Os cartões pré-pagos são utilizados, principalmente, em viagens internacionais, nas quais o turista deposita uma determinada quantia na moeda que deseja e passa o cartão como se fosse um débito. Porém, o setor do pré-pago cresceu nos últimos anos.

Segundo dados da Euromonitor, o número de cartões com função pré-pago em circulação no Brasil dobrou de 28,3 milhões para 56,8 milhões, sendo que a previsão é de que 2013 feche com um total de 64,5 milhões de cartões.

Para o presidente da GSPP (Grupo Setorial de Pré-Pagos), Antonio Jorge Castro Bueno, a grande vantagem do pré-pago para o País é a inclusão financeira. “As pessoas das classes C e D se sentem intimidadas dentro de agências bancárias. O cartão pré-pago irá permitir que essas pessoas tenham uma relação mais próxima com o sistema bancário”, explica.

Leia também:  Em 2017, Brasil bate recorde e tem 61 mil de devedores

Além disso, a forma de pagamento também pode ajudar no controle financeiro, por exemplo, na mesada dos filhos. Os pais podem depositar o dinheiro necessário para as crianças e ainda podem determinar o limite máximo que pode ser gasto em cada compra e em quais horários do dia o cartão pode ser utilizado.

“O cartão também é uma solução para aqueles que precisam pagar empregados domésticos e de construção civil. Em vez de pagar com o dinheiro, é mais fácil depositar o valor no cartão, já que não é necessário ter uma conta corrente vinculada”, afirma Bueno.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.