Cientistas australianos e norte-americanos conseguiram reverter o envelhecimento muscular em ratos na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, e esperam poder realizar testes semelhantes com pessoas no fim de 2014, informou hoje (20) a imprensa da Austrália.

A equipe, liderada por David Sinclair, da Universidade de Nova Gales do Sul (Austrália), que desenvolveu o trabalho na Universidade de Harvard, criou um composto químico que poderá permitir que uma pessoa de 60 anos se sinta como uma de 20.

O produto deu maior energia aos ratos, tonicidade aos músculos, reduziu as inflamações e melhorou significativamente a resistência à insulina.

“Estudo o envelhecimento em nível molecular há quase 20 anos e nunca pensei constatar que o envelhecimento pode ser revertido. Pensava que teria sorte se conseguisse desacelerá-lo um pouco”, disse Sinclair, citado pela cadeia australiana ABC.

Leia também:  França em número recorde elege 233 mulheres para a política

De acordo com o cientista, a investigação, publicada na revista Cell, permitiu verificar em ratos velhos, com problemas de saúde relacionados à idade, um retrocesso “em uma semana”.

A pesquisa favoreceu ainda a identificação de uma nova causa do envelhecimento, principalmente dos músculos, que é a comunicação entre os cromossomas do ADN do núcleo da célula e os do ADN das mitocôndrias, responsáveis por fornecer a maior parte da energia necessária à atividade celular. “O que descobrimos é que no processo de envelhecimento esses cromossomas não se comunicam”, informou Sinclair.

Para mudar essa situação, os investigadores usaram uma molécula que elevou nos ratos os níveis de nicotinamida adenina dinucleótido (NAD), que se mantém em níveis altos na idade jovem com dieta adequada e exercícios, mas diminui com o envelhecimento até 50%, como se verificou nos ratos.

Leia também:  Helicóptero militar cai após tocar em fio de alta tensão e 13 soldados morrem na Turquia
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.