Com dois campeões mundiais em seu grid, a Ferrari tentará reencontrar o caminho da vitória em 2014, após uma temporada marcada pelo desempenho irregular de seu carro. Mas o chefão da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, adverte que apenas o talento de Fernando Alonso e Kimi Raikkonen não será suficiente para recolocar a escuderia italiana no lugar mais alto do pódio.

Para o dirigente, que passa o Natal no Brasil, para acompanhar a esposa, Fabiana Flosi, a “dupla explosiva” só funcionará se tiver um monoposto competitivo nas pistas. Em entrevista ao jornal italiano “La Gazzetta dello Sport”, publicada nesta quarta-feira, Ecclestone revelou frustração pela atuação na Ferrari no último campeonato, mas afirmou que a concorrência interna poderá ser um estímulo para os dois pilotos.

Leia também:  Cuiabá Arsenal encara último rival da 1ª fase do brasileiro

– Estou muito decepcionado pelo que aconteceu, porque apostava na Ferrari para o campeonato de 2013. Alonso conduziu bem, mas o carro não era competitivo. Alonso e Raikkonen formam a dupla clássica que Enzo Ferrari (fundador da equipe) sempre quis ter. Será divertido com os dois, e um poderá estimular o outro, mas a Ferrari vai precisar de uma boa máquina. Caso contrário, eles vão apenas bater papo – disparou.

Apesar de ter ressaltado sua admiração e torcida pela Ferrari, Bernie Ecclestone não demonstrou preocupação com a recente hegemonia estabelecida pela RBR, que venceu as quatro últimas temporadas graças à superioridade implacável de Sebastian Vettel. O dirigente de 83 anos afirmou que o alemão de 26, consagrado este ano como tetracampeão mais jovem da história da categoria, passou por uma grande evolução durante a edição de 2013.

Leia também:  Academia é destaque em competição em Minas Gerais

– Sebastian tem qualidades que os outros não possuem, e ele mereceu esse título. Não temos que olhar apenas para o que ele faz na pista, mas também para a forma como ele consegue motivar sua equipe, como se relaciona com os técnicos. Por tudo isso, Vettel é um verdadeiro campeão. Em um ano, ele cresceu muito, melhorou 100%. Está mais aberto, mais disposto a falar, e ganhou um grande senso de humor – elogiou.

Ecclestone acredita também que Vettel não pretende ficar na RBR até o fim da carreira, mas avalia que a Ferrari não é o único destino possível para o piloto alemão. Ao jornal italiano, o dirigente se esquivou de apontar um favorito para a temporada 2014, mas ressaltou que as mudanças previstas no novo regulamento da categoria resgatarão a hierarquia dos motores. “A equipe que tiver o melhor motor vai vencer”, declarou.

Leia também:  União volta a jogar sábado pelo Sub-19

A temporada 2014 da Fórmula 1 está marcada para começar de 13 a 16 de março, com o GP da Austrália. Antes disso, os pilotos vão à pista para testar os novos carros em Jerez de la Frontera (Espanha), de 28 a 31 de janeiro. Na sequência, ainda realizam mais duas baterias de avaliações, entre os dias 19 e 22 de fevereiro, e 27 de fevereiro até 2 de março, no Bahrein.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.