Mais sete novos empregadores de Mato Grosso foram incluídos no mês de dezembro na chamada ‘lista suja’ do trabalho escravo, cuja atualização foi divulgada nesta segunda-feira (30), pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). São quatro fazendas, uma carvoaria de uma fazenda, uma Pequena Central Hidrelétrica (PCH), e uma destilaria, também em uma fazenda. No total, 65 empregadores do estado constam da relação.

Mato Grosso é o segundo estado do país em número de empregadores inscritos na lista. O ranking é liderado pelo Pará. Em terceiro e quarto lugares, estão os estado de Goiás e de Minas Gerais, respectivamente.

O cadastro é composto, atualmente, por 579 empregadores em todo o país. Foram incluídos 108 novos, reincluídos outros dois por conta de decisão judicial e excluídos 17, após cumprimento de requisitos administrativos.

Leia também:  IBGE estima queda na produção de soja e arroz em MT em 2018

As fazendas flagradas na prática de submeter os trabalhadores a condições análogas à de escravo no segundo semestre deste ano ficam nos municípios de Nova Bandeirantes, Brasnorte, Nova Monte Verde e São Félix do Araguaia. A carvoaria é localizada em uma fazenda em Ribeirão Cascalheira, a PCH fica em Sapezal e a destilaria funciona numa fazenda em Confresa.

No acumulado do ano, 13 empregadores do estado foram incluídos na relação.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.