Os agendamentos para o Exame Supletivo Online 2014 deverão ser retomados a partir do final do mês de março. Em três anos de oferta foram contabilizados 225 mil agendamento ao processo que possibilita a certificação do Ensino Fundamental e Médio. Em 2011 foram 93.455 registros, outros 72.475 em 2012 e, no ano passado 59.687.

O gerente de Organização de Exames Certificadores da Seduc, Antônio Marcos Passos de Mattos, pontua que a celeridade garantida com a divulgação imediata dos resultados aos candidatos, bem como a facilidade para a inscrição e agendamento das provas consolidaram o sistema online como uma eficaz ferramenta de trabalho.

“Importante observar que professores foram contratados, exclusivamente, para desenvolver as questões empregadas para o Exame e buscam também estimular o retorno desses cidadãos às salas de aulas”, pontua Mattos.

Leia também:  Arraiá do Vale e Festival de Viola Feminina acontecem nos dias 13, 14 e 15 de julho

Com o passar dos anos o sistema está sendo melhorado e, uma das adequações propostas para o próximo ano será a realização das provas somente por área de conhecimento, seguindo tendência nacional.

Outra ação para o próximo ano trata-se da realização do Exame Supletivo Online itinerante. Um total de 24 cidades já foram elencadas e quatro delas serão desse projeto piloto. O Exame itinerante seguirá os mesmos parâmetros de intervenção tecnológica adotados no Estado, mas com períodos de agendamentos específicos e exclusivos.

“Iremos avaliar todas as demandas para somente então saber como se dará esse processo de atendimento. Importante dizer que o trabalho deve ser desenvolvido em parceria com as gestões municipais”, disse Mattos

Leia também:  Detran capacita servidores de Ciretrans em gestão de Protocolo no estado

Ele cita que a medida leva em consideração as dimensões geográficas do território matogrossense e as solicitações quanto à oferta das provas em cidades muito distantes de alguns dos 25 Centros de Educação de Jovens e Adultos (Cejas), onde os Exames são realizados. “Outro fator é o de que nesses municípios não existe nenhum outro exame certificador, como Enem e o Enceja e temos de garantir a oferta”.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.