A preocupação da FIA com a segurança da Fórmula 1 ganhará mais um reforço em 2014. Em meio à enxurrada de novidades divulgadas durante essa semana, a entidade anunciou nesta quinta-feira que vai colocar em prática o sistema de penalidades por reincidência a partir da próxima temporada. O novo modelo, sugerido pela primeira vez no final do ano passado, prevê a suspensão automática por uma corrida para os pilotos que acumularem 12 pontos de punição no período de 12 meses.

Inspirada pelo modelo de acúmulo de pontos na carteira de habilitação dos motoristas que cometem infrações de trânsito, adotado por muitos países, inclusive o Brasil, a FIA acredita que a nova regra ajudará a coibir acidentes e manobras perigosas. Até o campeonato deste ano, o sistema de reprimenda da categoria previa apenas a perda de dez posições no grid de largada depois que o piloto acumulasse três penalidades.

Leia também:  União começa neste domingo sonho de voltar à Copa do Brasil

– Os pontos de penalidade permanecerão na superlicença do piloto por um período de 12 meses, até serem removidos no 12º mês de aniversário de sua imposição. Se um piloto acumular 12 pontos neste período, sua superlicença será suspensa para a corrida seguinte. Após o cumprimento da punição, os 12 pontos serão retirados – afirma o novo código da FIA, que passa a vigorar a partir da temporada 2014.

O regulamento também endureceu as sanções aplicadas em saídas de pit stops que sejam consideradas “inseguras” ou “perigosas” pelos comissários de pista. Se a manobra ocorrer durante os treinos classificatórios, os pilotos poderão ser punidos com a perda de posições no grid da prova. Caso a falta aconteça durante as corridas, os carros perderão 10 lugares no grid da etapa seguinte, além de estarem suscetíveis à perda de 10 segundos e ao drive-through.

Leia também:  Cuiabá Arsenal embarca em busca de vaga na final do brasileiro

A ideia de reforçar as punições aos pilotos surgiu após o acidente espetacular provocado por Romain Grosjean, da Lotus, na largada do GP da Bélgica. Como consequência de sua conduta, o francês foi proibido de correr o GP da Itália e se tornou o primeiro competidor a ser suspenso de uma corrida de F-1 desde Jacques Villeneuve no GP do Japão de 1997 (o canadense participou da prova após entrar com recurso) e o primeiro a cumprir suspensão por causar acidente desde o finlandês Mika Hakkinen em 1994.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.