Uma variante genética que faz o organismo produzir cortisol – hormônio responsável pelo estresse – em grandes quantidades pode aumentar as chances de infarto ou morte por doenças cardiovasculares, sugere um novo estudo da Universidade de Duke (EUA). O trabalho foi publicado dia 18 de dezembro na revista PLoS One.

A equipe fez análises genéticas em mais de 6.100 homens e mulheres que constavam em um banco de dados da Universidade com pacientes de alto risco cardíaco. Dois terços dos participantes eram homens. Durante seis anos de acompanhamento, os pacientes portadores da variante genética apresentaram um aumento no risco de infarto e morte por doenças cardiovasculares até 38% maior do que aqueles que não tinham a alteração.

Leia também:  Confira 22 truques culinários que turbinam a saúde

Apesar de ajustados os resultados para os fatores de risco como idade, obesidade e tabagismo, o traço genético ainda mostrava essa associação. No entanto, os pesquisadores afirmam que isso não prova uma relação de causa e efeito, sendo necessários mais estudos. De acordo com os autores, o próximo passo seria testar pessoas de forma geral em vez de apenas aqueles com risco cardíaco.

Adote 12 medidas para proteger a saúde do coração
O Ministério da Saúde estima que 31,5% dos óbitos no Brasil são provocados por doenças cardiovasculares, tornando-se a primeira causa de morte entre a população brasileira. A doença mata por ano, 7.6 milhões de pessoas no mundo todo, devido às suas complicações como AVC, infarto, entre outras. A hipertensão arterial e obesidade são consideradas duas das maiores vilãs da saúde do coração. Segundo dados do Ministério, cerca de 30 milhões de brasileiros têm hipertensão e há outros 12 milhões de brasileiros que ainda não sabem que possuem a doença no Brasil. Quando não controlada, a pressão arterial causa lesões na artéria aorta e provoca a sobrecarga do coração, que fica com o músculo mais rígido, aumenta de tamanho e fica inchado. Já o excesso de peso, principal causador da hipertensão, exige um esforço maior não só do coração, mas também de todo o sistema circulatório, sendo a principal causa do aumento da pressão e podendo levar ao desenvolvimento de insuficiência cardíaca, ou seja, da diminuição da capacidade do coração de cumprir a sua função de bombear efetivamente o sangue, que corre por todo o corpo, alimentando órgãos e tecidos vitais. Por isso, manter hábitos saudáveis é fundamental para blindar o coração. A seguir, confira 12 maneiras de proteger esse órgão vital.

Leia também:  O fim do xixi na cama
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.