Comprar carne no varejo em Mato Grosso está um pouco mais “salgado”. Um novo levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), levando-se em consideração as duas primeiras semanas de dezembro, aponta alta no quilo de 13 cortes. Entre eles o está o da paleta, que registrou o maior incremento, chegando a R$ 11,8 ante R$ 11 em novembro (+6,9%). Em seguida veio o do filé mingon que passou de R$ 25 para R$ 26,1 (+ 4,4%), alcatra, de R$ 17,7 para R$ 18,50 (+4,3%) e costela, de R$ 7,5 para R$ 7,8 (+ 4%).

No levantamento o Imea aponta que entre os cortes com alta ainda constam o coxão duro, que passou de R$ 15,2 para R$ 15,6; e o cupim, que saltou de R$ 13,3 para R$ 13,6, ambos com incremento de 2,7%. O valor do músculo saltou de R$ 11,3 para R$ 11,6 (+2,5%) e o da fraldinha, de R$ 13,8 para R$ 14,1 (+2%). O valor da maminha, que era de R$ 17,2 foi a R$ 17,5 (+1,7%); do coxão mole, de R$ R$ 17 para R4 17,3 (+1,6%); da picanha, de R$ 26,5 para R$ 26,9 (+1,5%); do lagarto de R$ 14,6 para R$ 14,8 (1,2%)  e do patinho, que custava R$ 16,3 e passou a ser R$ 16,4 (+0,6%).

Leia também:  Comercialização da safra de milho acumula mais de 90% da produção em Mato Grosso

Apenas três cortes registraram baixa em relação a novembro. O quilo da capa do filé passou de R$ 11,2 para R$ 11,1 (- 1%). Já o contrafilé passou de R$ 19,1 para R$ 19 e o acém, de R$ 10 para R$ 9,9 (ambos -0,5%).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.