O momento é merecidamente de festa para o australiano Mick Fanning. O surfista se sagrou campeão do Circuito Mundial de Surfe (WCT) pela terceira vez na carreira de forma emocionante no último sábado (14), na etapa de Pipeline. Sem esconder a alegria, o tricampeão não cansa de posar para fotos ao lado de seu mais novo troféu que, segundo ele, é um dos mais importantes da carreira.

– Eu remei para a onda, ela veio linda e quando entrei, pensei ‘Ouuuu’. Foi uma emoção muito grande. Incrível. Foi um ano divertido. Me diverti muito no Tour. Há alguns anos eu não estava me divertindo. Essa temporada eu consegui fazer isso. Somos sortudos – afirmou Mick Fanning.

Leia também:  Cuiabá Arsenal encara último rival da 1ª fase do brasileiro

Fanning precisava de duas baterias para comemorar, então o destino fez questão de deixar a conquista com um sabor diferente: a primeira vitória, sobre CJ Hobgood, saiu faltando um minuto. Nas quartas de final, ficou atrás de Yadin Nicol até sua última onda. Precisava de um 9,57 e saiu da água sem saber se havia vencido ou não e teve que esperar o resultado já na areia, cercado por torcedores e amigos, como Joel Parkinson. Tirou 9,7 e, em um instante, todo o sofrimento e a tensão viraram festa pelo tricampeonato mundial.

Com o título assegurado, Mick Fanning ainda teria a oportunidade de vencer em Pipeline e fechar a etapa com chave de ouro. Mas após tanto sofrimento nas baterias anteriores, o australiano entrou relaxado demais na semifinal contra John John Florence. O havaiano não tinha nada com isso e passou por cima do tricampeão mundial por 18.30 (9.20 e 9.10) a 5.00. Dessa vez, não apareceu a onda salvadora para o aussie e o surfista local festejou a conquista da sua segunda Tríplice Coroa Havaiana, além da vaga na decisão do evento na ilha de Oahu pela primeira vez.

Leia também:  Cuiabá vence Luverdense e se classifica para semifinal no sub-17

Em clima de festa, Fanning, o novo número um do mundo, nem se importou em somar apenas 5 pontos nas duas ondas. Ele só queria comemorar e agradecer aos amigos e familiares. Emocionadas, a mãe e a esposa, Karissa, não seguraram as lágrimas e se abraçaram muito, enquanto o australiano era cercado por dezenas de pessoas ao sair do mar.

– Agradeço a minha bela mulher pelo apoio, amor, e obrigado à minha mãe, que deve estar muito feliz agora, à toda a minha família. Vocês me dão o apoio necessário. Parko (Joel Parkinson), obrigado por ser meu irmão mais velho. Ter você por perto me ajuda muito. Obrigado aos patrocinadores. Enfim, obrigado a todos por esse belo dia – disse o tricampeão mundial.

Leia também:  FMF confirma participação na Copa do Brasil de Seleções Estaduais Sub-20 da CBF
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.