João Paulo foi preso no dia do aniversário - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT
João Paulo foi preso no dia do aniversário – Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

Investigadores da Polícia Judiciária Civil (PJC),  2ª Delegacia de Polícia, elucidaram mais um crime em Rondonópolis, desta vez os policiais chegaram até os autores do latrocínio contra as vítimas João Eupidio Pereira dos Santos e Vagner Resende de Andrade, 28 anos, onde ambos foram mortos e depois carbonizados. O crime ocorreu no dia 16 de outubro deste ano, em uma estrada que dá acesso a região de Campo Limpo. (Saiba Mais Aqui).

O suspeito João Paulo Ferreira Alves, 24 anos, foi apresentado na noite de hoje (23), como o autor dos disparos que matou João Eupidio e Vagner, porém ele nega participação no latrocínio.

De acordo com o investigador Ferreira, o ponto de partida para a descoberta começou após a prisão do suspeito Luiz Carlos Onório, vulgo Carlinho, que aconteceu logo depois do crime. Na ocasião o suspeito foi preso com a arma utilizada no assassinato, além do celular de uma das vítimas.

Leia também:  Homem é preso após confessar que matou e enterrou corpo da vítima em Mato Grosso

Depois de preso, Onório abriu o jogo para os policiais e contou todos os detalhes. Segundo ele, os jovens teriam procurado João Paulo para comprar drogas e em um momento de loucura, João Paulo, Onório e outras duas pessoas que a PJC não revelou o nome, mataram a dupla para roubar cerca de R$ 4 mil que estavam com uma das vítimas e um revólver.

O carro de João Paulo, um veiculo Gol, foi usado para dar fuga no dia do crime.

PRISÃO
João Paulo Ferreira Alves, 24 anos, foi preso hoje (23), no município de Juscimeira. Com ele os policiais encontraram drogas, uma arma, além de R$ 2 mil reais em notas pequenas, o que caracteriza tráfico de drogas.

Leia também:  Casal de idosos é feito refém durante assalto a comércio e suspeitos são detidos

O suspeito João Paulo que já teve passagens pela polícia por tráfico e homicídio, nega participação no latrocínio e alega estar morando em Juscimeira há cerca de 30 dias.

O nome dos outros envolvidos ainda não foram revelados porque a PJC ainda busca o paradeiro dos outros dois.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.