Os projetos que vieram do Executivo atendendo uma indicação do Ministério Público do Estado (MPE), que visava retomar áreas da prefeitura foram derrubados pela maioria dos vereadores debaixo de muitas críticas ao órgão. A sessão Extraordinária aconteceu na tarde de ontem (17) na Câmara Municipal de Rondonópolis.

O 1º tratava da revogação da uma lei municipal de 2012, que permitiu a troca de um terreno da prefeitura, por um particular, isto é, na época o terreno onde hoje é o Alfredo de Castro, Conquista e demais bairros foi trocado por uma área onde é o residencial Granville 2. O MPE entendeu que só a área que foi dada em troca valia mais. Este assunto gerou polêmica na hora da votação e foi derrubado por 17 votos.

Leia também:  Vereador visita obras do Centro de Artes e Esportes Unificados

Fulô (PMDB) disse na tribuna da Câmara Municipal que os vereadores também são um poder e  que eles podem definir como bem entender. “Vamos fazer um convite para o MPE conhecer a realidade daquele pessoal, não podemos simplesmente voltar atrás”, aponta.

O vereador Adonias Fernandes (PMDB), também comentou e afirmou não concordar, já que naquele local existe muitas famílias.

Outro projeto que também foi derrubado, só que desta vez por unanimidade foi a revogação de um terreno cedido a Igreja Move Águas, localizado na região do residencial Maria Tereza. (Saiba Mais Aqui).

“Aquela região era usada como desova de gente, quantas pessoas assassinadas não foram encontradas lá, hoje é diferente. A igreja tem um trabalho maravilhoso pega diversas crianças em bairros e leva para o espaço, para ensinar a religião e isso não pode acabar”, lembrou Adonias.

Leia também:  “Apesar do alto investimento, não estamos constatando melhorias na saúde”, diz vereador Silvio Negri
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.