Na próxima segunda-feira (09) um grupo de partidos composto por PDT, PPS, PSB e PV ( Movimento Mato Grosso Muito Mais) deve se reunir com PSDB, DEM e PTB, a intenção da reunião é afinar a estratégia para as eleições de 2014, onde o grupo pretende eleger o senador pedetista, Pedro Taques, como o substituo de Silval Barbosa (PMDB).

Acontece que a possibilidade da entrada do PR, do deputado federal e presidente regional da legenda, Wellington Fagundes, já está gerando mal estar entre os apoiadores da candidatura Taques, muito, por causa da pré-candidatura de Fagundes ao Senado.

Wellington que já desponta em todas as pesquisas como o preferido do eleitorado, não seria muito bem visto no grupo, já que sua candidatura dentro deste arco de alianças tiraria do páreo, Jayme Campos (DEM) que concorre à reeleição e Serys Slhessarenko (PTB). Segundo o presidente regional do PSDB, o deputado federal Nilson Leitão, os nomes para concorrer só devem ser discutidos no próximo ano, “Para que eles (PR) venham, primeiro precisam deixar a base do governo e mostrar qual é o lado deles”, alfinetou. Apesar da declaração de Leitão é tácita a negativa da intenção de aceitar o PR com uma candidatura ao senado de Fagundes.

Leia também:  Zé “Vidente” chama vereador de deputado estadual
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.