A Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos Automotores (Derrfva), da Polícia Judiciária Civil, mantém uma média de 60% de recuperação de veículos roubados e furtados. Em 2013, a recuperação foi de 2.143 para 1.787, representando 58% dos veículos, entre carros e motos, subtraídos em Cuiabá e Várzea Grande. No ano de 2012 foram recuperados 59% dos veículos roubados e furtados.
Em números de procedimentos, ano passado a Delegacia recebeu 417 flagrantes de outras unidades policiais, especialmente os plantões de Cuiabá e Várzea Grande, e lavrou diretamente na Derrfva 46 autos de prisão em flagrante, totalizando 463 inquéritos policiais oriundos de flagrantes de crimes de roubo, furto, receptação e adulteração de sinal identificador de veículo automotor. Para cada procedimento, a unidade estima ao menos dois presos, somando-se 926 pessoas autuadas em delitos ligados a veículos.
A recuperação de veículos ocorre durante ações das Polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal. O delegado titular da Derrfva, Antonio Carlos Garcia de Matos, explica que após o registro do boletim de ocorrência, na Especializada, os dados são inseridos no Banco Integrado Nacional, a qual todas as delegacias de roubos e furtos de veículos estão interligadas. “A Delegacia faz inclusão e quando recuperado faz a exclusão. No interior é feito pelas regionais”, explica.
O delegado orienta o acionamento do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciosp), pelo 190,  para que buscas sejam realizadas de imediato pelas viaturas na rua e aberta a ocorrência. “O objetivo é agilidade até que seja feito o deslocamento até a delegacia e confeccionado o registro. A primeira ação da vítima é ligar no número de atendimento do Ciosp, 190. Em nível de urgência é eficiente, mas depois é preciso comunicar o registro na Delegacia para que entre no cadastro nacional e a consulta esteja disponível”, explica.
Como fonte de informação à população, o Governo Federal disponibiliza o Sinesp cidadão, um aplicativo de celular que possibilita consulta de placas de veículos. O Sistema apenas informa se a situação do carro está legal ou irregular. Já as polícias têm como fonte de checagem o sistema Infoseg, que pode ser feito pelo policial que tem senha ou solicitado à checagem no Ciosp.
Para o delegado titular da Derrfva, Antônio Carlos Garcia de Matos, muitas das ocorrências de roubos de veículos estão relacionadas a assaltos de residência, cujo veículo é levado como meio de transporte dos produtos levados. “Temos muitos carros recuperados com autores de receptação de produtos de residência e de veículos propriamente dito”, afirma.
Conforme levantamento da Seção de Estatística Criminal, da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil, de janeiro a dezembro passado foram 1000 veículos, de todos os tipos, roubados em Cuiabá contra 782 nos 12 meses de 2012. Os furtos reduziram 4%, sendo 956 em 2013 e 998 em 2012. As motocicletas representam 42% dos roubos e 47% dos furtos. Os veículos mais roubados são as motocicletas Honda CG e Biz e carros popular, do tipo Gol e Fiat Uno.
Na cidade de Várzea Grande foram 1.496 roubos de veículos em 2013 e 1.089 em 2012. Os furtos também tiveram aumento, de 259 em 2012 passaram para 361 em 2013. A motocicleta foi veículo mais visado, com 63% dos roubos e 46% dos furtos. Os modelos mais roubados e furtados são as motocicletas Honda CG, Biz, Bros, e Yamaha YBR e os veículos Gol.
De acordo com Garcia, os roubos de motocicletas ocorrem para diversas finalidades como desmanches, extorsão, clonagem de placas para fins de “Finan” (veículo financiando revendido a valor abaixo do mercado). “Até mesmo para trocar por droga na Bolívia, como o caso de 3 motos Biz recuperadas pela Delegacia dias atrás”, disse o delegado. “Em tese, a carro, a caminhonete são recuperados com placas clonadas, o que dá para entender que não é para desmanche”, completa.
O levantamento da Polícia Civil aponta que na cidade de Várzea Grande a estrutura urbana contribui para o aumento dos roubos e furtos e também para maioria das extorsões. Com ruas de difícil acesso, iluminação precária e terrenos baldios, o índice de roubo e furto cresce nos bairros periféricos como Jardim Glória, Mapim, Jardim Paula I e II, Jardim Eldorado, entre outros.
Em Cuiabá os roubos e furtos têm ocorridos em regiões com grande circulação de veículos como Centro, Morada da Serra, Jardim Europa, Boa Esperança e Porto.
Advertisements
Leia também:  Paranatinga | Homem é encontrado morto em fazenda

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.