A água termal tem feito a cabeça de quem acompanha o mundo dos cosméticos. E por mais que no rótulo informe que ela só contém água, a composição do líquido é o fator mais importante e que justifica inclusive o preço do cosmético. “Ela conta com uma composição específica, pois passa por um processo de filtração próprio, que mantém seus minerais em ótimas condições e não apresenta bactérias”, enumera a dermatologista Edislene Viscardi, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. “Além disso, a água termal tem menos sódio em sua composição e é mais rica em selênio, cálcio e manganês, quando comparada à água mineral”, completa a especialista. Esse diferencial ocorre devido a temperatura mais alta da água termal, que normalmente é encontrada entre 37 e 50 graus.

Ela é normalmente comprada em spray, e deve ser borrifada sobre a pele antes de passar ou retocar o filtro solar, para não anular essa proteção. “Alguns cremes e loções hidratantes, podem vir enriquecidos com água termal, para otimizar sua ação calmante e suavizante na pele”, considera a dermatologista Carla Albuquerque, membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia. O ideal é passar o suficiente para cobrir a área do corpo, mas não há problema no uso excessivo, já que o produto é apenas água com concentrações relevantes de minerais.

Além de se destacar das águas minerais comuns, cada composição mineral tem uma função diferente para a pele, que fica disponível na embalagem. Descubra qual é ideal para cada problema e compre a melhor para você.
Refresca

Leia também:  Dia de Luta contra Queimaduras: como evitar e tratar

Por conter uma maior quantidade destes minerais e oligoelementos, a água termal refresca muito mais do que a água comum, mas depende do solo em que essa água foi filtrada. O ideal é borrifá-la no rosto ao longo do dia, principalmente nos dias mais quentes do verão. “Para sentir os benefícios da água termal, é necessário usar o produto entre duas e três vezes ao dia, aplicando antes do filtro solar pela manhã, no meio do dia, antes de reaplicar o filtro, e antes de dormir”, ensina a dermatologista Edislene Viscardi, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.
Hidrata

Para a dermatologista Edislene, a água termal pode inclusive servir como hidratante para pessoas que tenham pele oleosa e não conseguem se beneficiar tanto com cremes e outros tipos de loções. Afinal, seus nutrientes também ajudam a fazer com que ela hidrate bem mais do que a água mineral ou de torneira. “Isso ajuda a dar um aspecto melhor à pele, impedindo que ela fique enrugada e sem brilho”, comenta a especialista.
Repõe minerais perdidos

Com o suor, perdemos vários minerais não só da nossa pele como do corpo. E além do uso de isotônicos para recarregar o corpo, a água termal ajuda a revitalizar a cútis ao repor esses minerais, pois ela contém principalmente as substâncias magnésio, cálcio, ferro e zinco, como enumera o médico esteta Paulo Kogake. “Sem isso, a pele pode ficar desvitalizada, sem viço, com aspecto cansado”, considera a dermatologista Carla Albuquerque, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.
Acalma a pele

Leia também:  Qual preparo de café você mais consome no dia a dia?

Esse cosmético tem o poder de melhorar a vermelhidão e acalmar a pele. “A água termal apresenta uma rica composição em minerais e nutrientes antioxidantes importantes para proteção de barreira da pele por equilibrar o pH e diminuir o processo inflamatório”, conta a farmacêutica Alexandra Lemos, consultora técnica da Galena. Além disso, ela protege nossa pele contra a agressão do sol, poluição e muito mais. Mas de maneira alguma substitui o protetor solar. “A água termal é capaz de nutrir e ajudar na proteção da pele contra fatores externos do dia a dia”, frisa Kogake. Um dos minerais que contém mais essa ação é a sílica.
Tem propriedades cicatrizantes

A vermelhidão causada por cicatrizes e problemas de pele também podem ser amenizadas pela água termal, já que ela ajuda na cicatrização da pele. “Para ação cicatrizante é importante conter enxofre e zinco, pois esses dois minerais participam do processo de reparo tecidual”, aponta a farmacêutica Alexandra. Alguns chegam inclusive indicar esse produto para problemas como rosácea, psoríase e eczema. “Mas nesses casos são mais indicados tratamentos mais completos nas estações de águas termais”, frisa a dermatologista Carla.
Ajuda após tratamentos estéticos

Leia também:  Alimentação saudável nas festas juninas, como conseguir?

Essa habilidade de cicatrização torna a água termal uma boa amiga de quem acaba de passar por procedimentos estéticos na pele. “Ela é muito indicada após tratamentos a laser e peeling químico, já que estimula a renovação celular, qualidade da pele e regenera e estimula as defesas antioxidantes naturais”, lista o médico esteta Kogake. Ela também ajuda após limpeza de pele, peeling físico, preenchimento e aplicação de toxina botulínica (botox). Além disso, ela protege a pele de fatores externos, o que é útil após esse tipo de procedimento, quando ele fica tão sensível.
Pode ter a ação que sua pele precisa

“A maior parte tem magnésio, cálcio, ferro e zinco, mas algumas têm diferenciais. As ricas em selênio têm ação antioxidante, por exemplo. Se houver bicarbonato, a água amaciará a pele…”, comenta a dermatologista Edislene. Existem algumas águas com ação contra a oleosidade e antisséptica também, como as vindas de Águas de São Pedro. Uma outra forma de conseguir esse tipo de benefício é manipulando o produto, como destaca Alexandra.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.