As empresas que estão instaladas no Aeroporto Municipal Maestro Marinho Franco, tais como a Companhia Aérea Azul, lanchonete, loja de locação de veículo além dos hangares construídos na lateral do campo de aviação, não pagam nenhum tipo de ‘taxa’ para utilizar o imóvel. A informação foi confirmada ao Site AGORA MT pelo secretário municipal de Infraestrutura, Argemiro Ferreira.

De acordo com o secretário, até hoje não houve nenhum tipo de pagamento porque  a Prefeitura está começando a pedir a regularização do local.

No caso dos hangares, conforme o Argemiro, quem construiu o imóvel não perde o direito de permanecia, mas os próximos pedidos de construção terão mais rigor.

Além da taxa de aluguel, as empresas também não pagam Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU), água e energia, tudo sai por conta do município, ou seja, dos contribuintes.

Leia também:  Sanear libera rede de esgoto da Vila Goulart para uso dos moradores

O terreno onde foi construído o aeroporto é do Estado, mas foi cedido para a Prefeitura por meio de um comodato. No início de 2013, o Paço Municipal renovou esse contrato para mais 15 anos.

Ainda não se tem um cálculo estimado de quantos milhares de reais o município já perdeu com a falta de arrecadação. Esse dinheiro se recolhido teria destino certo, o Fundo Municipal Aeroportuário.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.