O julgamento do réu Evanderly de Oliveira Lima, 44 anos, acusado de matar a ex-mulher, a juíza Glauciane Chaves de Melo, 42 anos, foi marcado para o dia 20 de março. Ele enfrentará o júri popular que está inicialmente marcado para acontecer em Alto Taquari, local em que o crime ocorreu.

Segundo o advogado de defesa, Edno Damasceno, a intenção agora é que haja a mudança do julgamento para a cidade vizinha, Alto Araguaia. Para ele, esta é a saída para que o réu tenha um julgamento justo sem risco de atrapalhar a defesa. “Os moradores de Alto Taquari, e possíveis jurados, estão emocionalmente envolvidos com o crime e isso pode levar uma imparcialidade na hora da sentença” disse ele.

Leia também:  Menores rendem clientes e proprietário durante assalto a comércio

O acusado que está na Penitenciária Central do Estado ainda não sabe que o julgamento foi marcado, pois o mesmo ainda espera a intimação.

O advogado também esclareceu que foi nomeado pela Justiça para atuar no caso, mas só aceitou o trabalho após falar com o réu e ele também aceitar. O defensor não quis comentar sobre a estratégia que irá adotar na defesa de Evanderly, alegando que isso pode atrapalhar no julgamento.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.