AlfarrobaVocê já ouviu falar em alfarroba? Este alimento é o atual hit entre as loucas por chocolate que vivem de olho na balança. Ele tem textura semelhante ao chocolate, derrete na boca e só é um pouco mais amargo do que o original.

Fruto de uma árvore nativa da costa do Mediterrâneo, a alfarroba é parecida com a vagem, mas é marrom-escura e adocicada e apresenta muito mais benefícios que o produto tradicional.

— Este chocolate “da moda” na verdade é um doce feito a partir da polpa dessa vagem, que passa por um processo de extração, moagem e depois de tudo isso é torrada.

Quem esclarece é a nutricionista funcional, Luciana Vintém, de São Paulo.

Leia também:  Esclerose múltipla | Do que são feitos nossos sonhos?

Rica em fibras, a alfarroba ajuda a mandar a fome embora e ajuda no funcionamento do intestino. Por esses motivos, ela é ótima aliada na hora de emagrecer ou matar aquela vontade “louca” de comer chocolate, mas manter a dieta mesmo assim.

Livre de glúten e açúcares, o doce pode ser consumido por diabéticos e por quem tem colesterol alto, sem medo. A nutricionista explica:

— Enquanto o cacau possui até 23% de gordura e 5% de açúcar, a alfarroba possui 0,7% de gordura e um alto teor de açúcares naturais como sacarose, glicose e frutose.

Com 25 % menos calorias do que o cacau, a alfarroba pode ajudar quem tem uma dieta rígida ou até mesmo por quem quer experimentar algo novo. Mas não é a qualquer paladar que ela de adapta, não. Há quem prefira doces com um toque mais forte de amargor.

Leia também:  Saiba como está a pesquisa da vacina brasileira contra a dengue

— Por ter açúcares naturais, a alfarroba é para quem se satisfaz com sobremesas mais doces, por exemplo. Nesses casos, a pessoa provavelmente tem o nível de serotonina (hormônio que regula o humor) baixo e doces ajudam a acalmar.

Já quem gosta de sabores mais amargos, semelhantes ao café, segundo a nutricionista, tem níveis baixos de dopamina e precisa de algo estimulante. Nesses casos, o paladar pode estranhar um pouco o sabor doce da alfarroba. Segundo especialistas, o ideal é consumir diariamente de 15 a 20 g, ou seja, um tablete pequeno ou 1 colher (sobremesa), que contém cerca de 32 kcal.

Locais especializados, que vendem produtos naturais costumam oferecer várias versões da alfarroba. Em barra, solúvel e até em suculentos bombons recheados.

Leia também:  Índices de ansiedade estão altíssimos em escolas brasileiras
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.