A MGO Rodovias – Concessionárias de Rodovias Minas Gerais Goiás S/A, SPE criada pelo Consórcio Planalto – assume, nesta segunda-feira (13), a Rodovia BR-050. Ela está localizada entre o trevo com a BR-040 em Cristalina/GO e o município de Delta, no Triângulo Mineiro, na divisa com São Paulo. A concessionária venceu o leilão em 18 de setembro do ano passado.

A rodovia tem a extensão de 436,6 km, com metade do trecho já em pista dupla. Os trabalhos iniciais que a MGO Rodovias deverá executar, nos próximos 12 meses, de acordo com o contrato de concessão, incluem a solução de problemas localizados e a criação de condições mínimas de conforto e segurança aos usuários.

Já no dia 13 de julho, seis meses após o início da concessão, começa a operação da rodovia com a disponibilização, gratuita aos usuários da rodovia, de serviços de socorro médico e mecânico. Também antes do início da cobrança de pedágio, a concessionária deverá duplicar 10% do trecho total a ser duplicado até o final do quinto ano (extensão que corresponde a aproximadamente 22 km).

Leia também:  Concurso da educação tem a participação de mais de 100 mil pessoas

A previsão é de que, em cinco anos, toda a rodovia esteja duplicada e com a construção de 22 km de vias marginais, sete passarelas, 24 interconexões e um trevo.

A BR-050/GO/MG foi a primeira rodovia do Programa de Investimentos em Logística (PIL) a ser leiloada. O Consórcio Planalto venceu a disputa com o deságio de 41,4% na tarifa do preço do pedágio em relação ao valor fixado.

A rodovia é uma das vias que faz a ligação entre o Distrito Feral e São Paulo e corta municípios de atividade agroindustrial e comércio atacadista do Triângulo Mineiro.

Homologação- A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) homologou, no Diário Oficial da União desta segunda-feira (13), o resultado do leilão de concessão da BR-163, em Mato Grosso. O trecho concedido tem 847,2 quilômetros e liga o estado ao Paraná. A vencedora foi a Companhia de Participações em Concessões (CPC, parte do Grupo CCR), que ofereceu tarifa de R$ 4,381 para cada 100 km rodados, valor 52,7% menor que o máximo estabelecido pelo governo federal.

Leia também:  Governo do Estado rompe definitivamente negociações com o Consórcio VLT Cuiabá
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.