Com o início das aulas começa a contratação de vans para o transporte escolar das crianças, o uso do serviço exige alguns cuidados essenciais para reduzir problemas e garantir a segurança das crianças.

O diretor da 2ª Ciretran de Rondonópolis, Carlos Nazário, frisou que os pais devem ficar atentos a questões como alvará, licença, vistoria, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do condutor do veículo e curso de transporte de pessoas para que seja garantida a qualidade no serviço.

Nazário acrescentou que a empresa ou prestador de serviços deve trocar o veículo a cada três anos e estar inscrito na Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Estado de Mato Grosso (Ager), e mesmo assim os pais devem acompanhar as condições dos carros.

Leia também:  Secretário nega documento que informa suspensão de voos por falta de combustível e segurança

O diretor do Serviço de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de Rondonópolis, Juca Lemos, destacou que é indispensável que os contratos tenham as cláusulas bem definidas, como por exemplo, o itinerário e horários que a criança é recolhida e entregue na residência e também a utilização de outro profissional, além do motorista, para acompanhar no transporte escolar.

Lemos propôs que os pais conversem com as crianças para conferir se os serviços têm sido cumpridos de acordo e bem tratadas, se for o caso acompanhar a van para ver como o motorista tem dirigido.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.