Depois de duas duras derrotas em Grand Slams no ano passado, Stanislas Wawrinka enfim pôde vibrar com uma vitória contra Novak Djokovic. Após os disputados confrontos de cinco sets que os dois tenistas fizeram no Aberto da Austrália e no US Open em 2013, o número 8 do mundo levou a melhor, nesta terça-feira, nas quartas de final do Grand Slam australiano.

Novamente em uma batalha de cinco parciais, Wawrinka garantiu vaga nas semifinais em Melbourne fazendo 2/6, 6/4, 6/2, 3/6 e 9/7 sobre o vice-líder do ranking da ATP, em quatro horas de partida.

– Ele (Djokovic) é um campeão incrível. Eu estou sempre lutando, sempre tentando e hoje venci. Estou muito, muito, muito, muito feliz – disse um sorridente Wawrinka, ao final do jogo que marcou o fim da invencibilidade de 29 duelos do número 2 do mundo, que durava desde o vice-campeonato no US Open do ano passado.

Wawrinka só havia vencido Djokovic em duas oportunidades como profissional, ambas em 2006. Das 15 derrotas que teve, duas ficaram na memória. Tanto nas oitavas de final do Aberto da Austrália quanto nas semifinais do US Open do ano passado, o sérvio e o suíço se enfrentaram durante cinco sets e Nole levara a melhor em ambos os confrontos.

Essa é a segunda vez consecutiva e em toda a carreira que Wawrinka chega às semifinais de um Grand Slam, igualando a melhor performance nos quatro torneios mais importantes do circuito (Aberto da Austrália, Roland Garros, Wimbledon e US Open). Stan também se tornou o segundo tenista suíço a se classificar pela segunda vez ou mais para uma semifinal de Grand Slam – somente Roger Federer, que atualmente tem 33 participações, mas joga as quartas de final em Melbourne nesta quarta-feira, contra o britânico Andy Murray, havia feito isso.

Leia também:  Academia e União vão disputar o Estadual Sub-17

Já Djokovic, que ganhou o Aberto da Austrália nos três últimos anos, vê um sonho acabar. Se não tivesse sido eliminado, ele poderia ter continuado no objetivo de se tornar o segundo tenista na história a vencer o torneio quatro vezes consecutivas. Essa marca agora permanece apenas com o australiano Roy Emerson, que, além de ter sido campeão em 1961, também triunfou entre 1963 e 1967. Djokovic ainda possui um troféu de 2008, o primeiro dele em Grand Slams.

O tcheco Tomas Berdych será o adversário de Wawrinka na disputa por um lugar na decisão do Aberto da Austrália. Nas quartas, o 7º do ranking venceu o espanhol David Ferrer (3º) por 3 sets a 1: 6/1, 6/4, 2/6 e 6/4. A semifinal entre Wawrinka e Berdych será realizada nesta quinta-feira.

Djokovic domina o primeiro set

A expectativa era de um duelo aos pés dos recentes confrontos de Grand Slam entre Djokovic e Wawrinka. Porém, o que se viu no primeiro set foi Nole atuando bem regular e o número 8 do mundo cometendo erros cruciais. A poderosa esquerda do suíço não estava 100% eficiente, como quando, no meio da quadra, soltou o backhand em cima da rede no começo da partida. Djokovic aproveitou o início devagar do adversário e conquistou uma quebra no sexto game. Depois, fechou o set com categoria: mesmo surpreendido com uma bola de Wawrinka que perdeu bastante velocidade ao bater na fita da rede, o sérvio contra-atacou com uma direita cruzada quase rente à divisória, faturando também a segunda quebra no jogo.

Wawrinka reage, com Federer de espectador

Leia também:  União, mesmo com derrota, avança e joga de novo contra o Dom Bosco

Enfim Wawrinka mostrou, no segundo set, por que havia causado dor de cabeça a Djokovic nos Grand Slams do ano passado. Com um ritmo melhor, o 8º do ranking entrou de vez no jogo ao mesmo tempo que o número 2 do mundo começou a errar mais. Djokovic fez um terceiro game de falhas bobas e permitiu um triplo break point para Wawrinka. Nole arriscou nas trocas de bola e forçou o primeiro serviço para evitar a quebra.

Porém, o vice-líder do ranking estava destinado a perder a segunda parcial. Em alta, Wawrinka encaixava melhor os golpes e conseguia mais pontos com bolas vencedoras e explorando a passada. Num rali de 26 bolas, o suíço conquistou a quebra de vantagem com uma esquerda furiosa na paralela, no sétimo game.

Queira ou não, foi justamente depois desse ponto que o ex-número 1 do mundo Roger Federer postou no Twitter uma mensagem revelando que estava assistindo à partida, além de ter colocado uma imagem com um dizer que brinca com o nome do compatriota: “Stanimal”. Wawrinka soube administrar a vantagem e empatou a partida.

Era a primeira vez que Djokovic havia perdido um set nesta edição do Aberto da Austrália. Mal sabia ele que tomaria a virada. À medida que Wawrinka ganhava confiança, também mandava cada vez mais bolas vencedoras para cima do número 2 do mundo. Depois de esbravejar com a própria atuação, o sérvio demonstrou apatia em quadra, sofreu duas quebras e ficou pela primeira vez atrás no placar geral de um confronto em Melbourne neste ano.

Djokovic ganha fibra, mas perde no quinto set

Precisando vencer os dois sets seguintes para se classificar para as semifinais, Djokovic teve mais presença na quarta parcial. O sérvio tinha mais facilidade para fechar os games de serviço até que achou uma quebra providencial. No oitavo game, Nole mandou uma devolução de saque no limite da quadra e veio o break point. Em seguida, uma bola de Wawrinka para fora fez o sérvio gritar de entusiasmo com a quebra. Com o saque em mãos, Djokovic acabou concedendo dois break points. Um Wawrinka atacou na rede, outro Nole fez um ace. Com outro ace, o número 2 do mundo confirmou o serviço e forçou o quinto set.

Leia também:  União estreia com derrota diante do Dom Bosco no Luthero

Com o placar igual, a tensão tomou conta da partida. Djokovic passou a ser mais vibrante e reagia com fúria quando errava. Foi assim quando ele obteve uma quebra logo no terceiro game da parcial decisiva, acelerando uma direita cruzada. Em seguida, perdeu a vantagem ao possibilitar um duplo break ao adversário e jogar a bola na rede.

Os tenistas foram confirmando os serviços até Wawrinka alcançar o 5/4. Pressionado por ter que evitar a quebra para não ser derrotado, Djokovic venceu o game de saque sem perder pontos. Para dar mais ingredientes no jogo, uma chuva fina caiu durante poucos minutos em Melbourne, mas não foi necessário que os jogadores fossem aos vestiários. Depois da rápida interrupção da partida, Wawrinka fez 6/5 e recolou Nole em maus lençóis, mas novamente o sérvio empatou sem perder pontos. Na quarta vez que ficou atrás nesse final, Djokovic errou. Tentou uma jogada rente à rede que foi para fora e, no match point do rival, mandou um voleio igualmente além dos limites da quadra. Foi a queda do atual tricampeão do Aberto da Austrália.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.