O nome do prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (PSB) foi capa da mídia nacional por um motivo nada nobre: envolvimento em uma fraude de R$ 700 milhões.

O juiz do Trabalho Luis Aparecido Ferreira Torres foi afastado do cargo. O magistrado é acusado de ‘dar uma mãozinha’ para o prefeito e seu sócio, Valdinei Mauro de Souza.

A fraude teria ocorrido durante a compra da empresa ‘Maney Mineradora Casa de Pedra’.

O juiz Paulo Roberto Brescovici, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), solicitou ao Ministério Público Federal em Mato Grosso (MPF/MT) que investigue o caso para verificar o que o juiz classificou como “fraude processual”.

Segundo apurou a reportagem do AGORA MT,  o prefeito da capital ainda não resolveu se toma uma atitude oficial sobre o assunto, como emitir uma nota, por exemplo.

Leia também:  Representante na capital

Uma fonte do Palácio Alencastro informou que Mendes estaria tranquilo, confiante em sua inocência. “Ele tem a mente tranquila e sabe que não fez nada de errado’, relatou um funcionário do sétimo andar do Alencastro, andar onde funciona gabinete do prefeito.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.