Desde a reapresentação, depois das festas de fim de ano, os treinos foram intensos. O desafio era iniciar 2014 com vitória na Superliga e diminuir a alternância de bons e maus momentos durante as partidas. No primeiro teste, diante do Araraquara, o Rio de Janeiro ainda oscilou, mas deixou a quadra com a vitória. Fabi estava satisfeita por ter visto um público maior no ginásio do Tijuca e com a postura do time diante de um adversário considerado “franco-atirador”. A bicampeã olímpica admite que o grupo ainda tem muito a evoluir, mas acredita que está no caminho certo e que chegará bem para a disputa da Copa Brasil, a partir desta quinta-feira, em Maringá (PR).

Na primeira edição, em 2007, a líbero fazia parte do elenco que ergueu o troféu, assim como Regiane e Amanda. Na seguinte, a taça foi parar nas mãos do Osasco. De volta ao calendário nacional, o torneio reunirá as oito equipes mais bem colocadas na temporada 2012/2013 da Superliga. Além do Rio de Janeiro, também estarão em quadra Osasco, Campinas, Sesi-SP, Praia Clube, Pinheiros, Minas e Rio do Sul. Todos de olho no título que dará a vaga para o Sul-Americano e a chance de brigar por um lugar no Mundial de Clubes.

Leia também:  Meninas do vôlei vencem a primeira em Cuiabá

– Sabemos que ainda estamos longe do ideal, que temos coisas a melhorar, mas fiquei feliz com a postura do time. É como o Bernardo conversou com a gente: sabemos que podemos melhorar e vamos fazer isso jogo a jogo. Acho que nossa equipe se comportou bem. Desde a folga nós focamos muito nos treinos e tomamos esse primeiro jogo como um desafio – disse.

O próximo exigirá atenção redobrada. O compromisso de estreia na Copa Brasil será contra o Rio do Sul, time que impôs ao Rio de Janeiro a primeira das três derrotas que teve até o momento na atual temporada.

– Tivemos um único jogo para poder avaliar nossa equipe para jogar um campeonato difícil, de tiro curto. E vamos estrear contra eles. Então, todo cuidado é pouco. Essa é uma competição das mais importantes. É um caminho para o Mundial de Clubes. Vai dar tudo certo.

Leia também:  Colorado perde e precisa reverter diferença de dois gols

Durante a semana, o trabalho foi para recuperar Fofão. A experiente levantadora sentiu dores na panturrilha esquerda na partida de sexta-feira e foi substituída no segundo set por Roberta. A campeã olímpica apresentou melhoras e viajou com o grupo.

– Ela sentiu uma contratura e desde então foi feito repouso, fisioterapia (calor, massagem, eletroterapia e cinesioterapia), além do treinamento físico com o nosso preparador Marco Antônio. Hoje está assintomática, voltando a treinar de forma gradativa – afirmou o fisioterapeuta da equipe, Guilherme Tenius, o Fiapo.

Do outro lado, o adversário não esconde estar disposto a surpreender as atuais campeãs da Superliga mais uma vez.

– É uma competição que todos querem entrar para ganhar. Nós respeitamos muito o Rio de Janeiro e sabemos o quanto evoluíram nos últimos meses. Mas nós também temos nossos objetivos. Tenho certeza de que o grupo dará o melhor para tentar surpreender – disse a oposta Ciça.

Leia também:  Pesso chega e começa a montar o União
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.