A situação de Michael Schumacher continua crítica. Internado desde o fim de semana, quando sofreu um acidente esquiando na França, o heptacampeão mundial de Fómula 1 está em coma induzido às vésperas de seu aniversário de 45 anos, nesta sexta-feira. Através das redes sociais, a Ferrari convocou os fãs do ex-piloto para uma homenagem silenciosa no hospital de Grenoble. A mensagem foi uma ideia do Ferrari Club, uma organização exclusiva para proprietários de veículos esportivos da montadora, que apoia de maneira oficial as atividades do clube.

– Nestes dias difíceis e por ocasião de seu aniversário, a Scuderia Ferrari Club quer mostrar seu apoio para Michael Schumacher organizando amanhã um evento silencioso e respeitoso, com todos de vermelho no Centro Hospitalar Universitário – convocou a equipe, através de uma nota no Facebook.

Leia também:  1º Campeonato de Futebol Amador está com inscrições abertas até segunda

Alguns minutos depois, pelas suas contas oficiais no Twitter e no Facebook, a escuderia mais tradicional da Fórmula 1 também avisou que fará uma homenagem ao aniversário de Schumi, que foi piloto do time por 11 temporadas, e é o recordista de GPs pela equipe, com 180. Foi com os carros vermelhos que o alemão conquistou 72 de suas 91 vitórias, 58 de suas 68 poles e cinco de seus sete títulos mundiais.

– Além de organizar o evento da SFC em Grenoble, a Ferrari dedicará uma homenagem especial a Michael amanhã – informou a escuderia, que fará tal reverência através de seu site oficial.

Desde que deu entrada no hospital em Grenoble, Michael Schumacher já passou por duas cirurgias na cabeça. As informações mais recentes foram dadas por sua assessora, nesta quarta-feira. Sua situação ainda é crítica, e é cedo para chegar a um prognóstico mais profundo. Nesta quinta, no entanto, a equipe médica preferiu não divulgar boletim oficial, uma vez que não houve alteração no quadro.

Leia também:  Academia e União vão disputar o Estadual Sub-17

Peritos estiveram no local do acidente na última segunda-feira para tentar revelar os possíveis motivos da queda. As primeiras análises mostrariam que o alemão, pelas marcas deixadas na neve, passou por cima de uma rocha “escondida” pela neve. Um de seus esquis tocou uma pedra, e seu corpo se chocou com a primeira e a segunda. Ele acabou escorregando, teve seu corpo projetado para o alto e caiu em seguida com o lado direito da cabeça batendo na terceira pedra, próxima de onde foi encontrada a poça de sangue.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.