O Índice de Confiança do Comércio da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 1,6% em janeiro deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com a FGV, o indicador está em queda há 12 meses. Em dezembro de 2013, o índice registrou variação de -3%.

A redução do ritmo de queda entre dezembro e janeiro foi provocada principalmente pelo aumento da confiança do setor atacadista, que passou de -5% em dezembro (na comparação com o mesmo período do anterior) para 0,2% em janeiro deste ano (na comparação com janeiro de 2013).

No varejo restrito (que exclui a venda de veículos e peças e de materiais de construção), a queda foi menos intensa em janeiro (-1,5%) do que em dezembro (-1,8%). Por outro lado, o varejo ampliado (que inclui a venda de veículos e peças e de materiais de construção) teve piora entre dezembro e janeiro. Se na comparação de dezembro de 2013 com o mesmo período de 2012, a queda havia sido de 1,9%, na comparação de janeiro com o mesmo período de 2013 a redução foi 2,6%.

Leia também:  Déficit previdenciário dos estados cresceu 10% em 2016

Os dados da FGV revelam ainda que os empresários brasileiros estão mais confiantes em relação ao futuro, já que o subíndice de Expectativas em janeiro ficou 1,4% acima do registrado no mesmo período do ano passado. Em dezembro, o indicador havia tido queda de 0,4%.

Por outro lado, o subíndice da Situação Atual, que avalia a confiança em relação ao momento presente, caiu 5,5% em janeiro, redução menos acentuada do que a observada em dezembro (-6,4%).

O Índice de Confiança do Comércio é calculado com base na média de três meses. O índice de janeiro de 2014, por exemplo, leva em consideração as opiniões dos empresários nos meses de dezembro e novembro de 2013. Já o indicador de dezembro é uma média da opinião dos empresários nos meses de outubro, novembro e dezembro.

Leia também:  Entidade diz que aumento de tributos prejudica competitividade do etanol
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.