Adversário de José Aldo no UFC 169, que acontece no próximo fim de semana em Newark, nos EUA, Ricardo Lamas não acha que BJ Penn tenha agregado nada de extraordinário ao treinamento de seu adversário. O havaiano, que já foi campeão das categorias peso-leve e peso-meio-médio do UFC, passou uma temporada no Brasil auxiliando nos treinos de Aldo na Academia Nova União, mas para Lamas o reforço não deve alterar o jogo do manauara.

– Eu ouvi que ele tem treinado com o BJ Penn, não sei se ele tem treinado com o Junior Cigano, que é um cara grande para ele (risos), mas eu não sou BJ Penn, não sou o Cigano ou quem quer que ele treine junto. Sou Ricardo Lamas e quando ele entrar no octógono contra mim, eu não ligo com quem ele tenha treinado – disse o americano em conversa com a imprensa durante o UFC: Henderson x Thomson, que aconteceu em Chicago no último sábado.

Leia também:  União volta a jogar sábado pelo Sub-19

Lamas disse não se importar com o fato de ser considerado o azarão para o duelo e que vai entrar no octógono com uma mentalidade diferente da dos demais desafiantes de Aldo.

– Eu acho que muita gente o vê como um dos melhores lutadores peso por peso do UFC, e talvez ele seja. Muita gente vai para a luta mentalmente derrotado antes mesmo de pisar no octógono com ele. Isso não vai ser assim comigo. Sou muito forte mental e fisicamente e vou entrar lá sem me intimidar pelo nome dele. Eu sei que ele é um homem como qualquer outro. Quando ele coloca as calças, veste uma perna de cada vez, eu acho. A menos que ele tenha poderes mutantes dos quais eu não estou ciente, sempre que você pisa no octógono com outro homem é um jogo. Qualquer um pode vencer, qualquer dia, qualquer hora.

Leia também:  1º Campeonato de Futebol Amador está com inscrições abertas até segunda

Questionado se pretende levar a luta até o último round com a intenção de cansar o campeão dos penas, o americano disse que pensa na possibilidade, mas que tudo vai depender do que acontecer no momento do combate.

– Se eu vir que ele está se cansando, vou tentar aumentar um pouco mais o ritmo. Estou em forma, fazendo sparring e, depois do treino, ainda corro. Eu quero mais, então continuo indo para cima, e a minha condição física vai ajudar. Se eu perceber que ele está ficando cansado na luta vou tentar puxar mais o ritmo.

Lamas, que venceu as suas quatro disputas no UFC antes de conseguir a chance ao título, credita a oportunidade “tardia” à sua introspecção:

– Eu não acho que era um lutador tão conhecido, não falava muito na mídia, não sou um falastrão ou coisa assim, e acho que isso dificultou as minhas chances de conseguir uma luta pelo título. Depois da minha última luta passei a falar mais sobre o que eu esperava, o que eu merecia e acho que isso me ajudou a conseguir essa oportunidade.

Leia também:  2ª Noitada de Boxe Olímpico acontece em Rondonópolis

Sobre a fase final de seu treinamento, o lutador explicou que a parte principal já foi feita e que agora está apenas concentrado na perda de peso.

– Eu venho me preparando nos últimos três meses para entrar lá e vencer, então não há nada que eu faça nessa última semana que vá mudar ou me deixar melhor para essa luta. Eu já fiz tudo o que eu pude no meu camp, e agora eu estou apenas concentrado em perder peso e me manter mentalmente focado e pronto para lutar.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.