Grenoble, cidade onde Michael Schumacher está internado desde o gravíssimo acidente de esqui do último domingo, amanheceu sob chuva fina e temperatura de 5ºC. Mas o frio na pacata cidade no sudeste da França tinha hora marcada para acabar, para dar lugar ao calor de centenas de “tifosi”, como são conhecidos os torcedores da Ferrari, que planejaram uma homenagem pelo aniversário de 45 anos do heptacampeão mundial de Fórmula 1.

Pouco antes das 11h (8h de Brasília), começaram a chegar os primeiros torcedores. O evento foi organizado pela Scuderia Ferrar Club, um fã clube oficial do tradicional time de Maranello que reúne pessoas de diversas cidades do mundo. O primeiro grupo a chegar veio de Caprino Bergamasco, cidade próxima a Milão, a 400km de Grenoble. Eram aproximadamente 20 pessoas, que desembarcaram em duas vans.

– Queremos retribuir a Schumacher, um piloto que deu tantas alegrias a nós. Desejamos sua pronta recuperação e que ele volte a ser o homem campeão que é – disse Giulio Carissimi, presidente do grupo.

Leia também:  Copa do Brasil é a meta de Pesso

Eles trouxeram uma placa com os dizeres “Saudações, Michael. Queremos (a placa) de volta autografada” em italiano, mostrando confiança na recuperação do ex-piloto. Cantaram também o tradicional ”parabéns para você”.

Minutos depois, um mar vermelho já tomava a frente do Centro Hospitalar Universitário de Grenoble. Cerca de 300 torcedores da Ferrari fãs de Schumacher, de diferentes regiões da Itália, como Erba, Mirabello Monferrato, Cologno al Serio, Dei Laghi, passavam energias positivas ao heptacampeão. À homenagem dos ferraristas, juntaram-se também outros fãs dos pilotos de outras cidades do mundo, como Assey, França, e Suzuka, Japão.

Uma simpática torcedora idosa, que não quis revelar sua idade, viajou mais de sete horas para a homenagem silenciosa Piera Lombardi saiu ainda de madrugada da região de Mirabello Monferrato rumo ao hospital de Grenoble.

Leia também:  União tem estreia contra o Dom Bosco confirmada

– Estamos muito cansadas, saímos de casa às 3h30 da manhã para chegarmos aqui, mas é importante mostrar apoio a Schumi nesse momento tão difícil – disse a simpática torcedora.

Conforme iam chegando, os torcedores colocavam faixas e cartazes em frente ao hospital. Dezenas de fãs ergueram bandeiras e fizeram uma caminhada em direção a entrada do hospital. Em seguida, um bandeirão gigante da escuderia foi aberto e segurado pelos torcedores. Imagens que lembravam as grandes comemorações dos “tifosi” pelas dezenas e dezenas de vitórias que Schumi, o maior vencedor da Ferrari e da F-1, os brindava nas pistas.

Na última quinta-feira, a Ferrari havia convocado seus torcedores, através das redes sociais, para uma homenagem silenciosa no hospital de Grenoble. A mensagem foi uma ideia do Ferrari Club, fã clube da equipe.
A maioria dos presentes no hospital nesta sexta-feira era formada por membros do Ferrari Club. O grupo é formado por diversos núcleos de diferentes cidades do mundo, principalmente da Itália.

Leia também:  União vence e assume liderança da Copa FMF

Desde que deu entrada no hospital em Grenoble, Michael Schumacher já passou por duas cirurgias na cabeça. Em coma induzido, Schumi passou o dia de seu aniversário com a família, Sua esposa Corinna, seus filhos Mick e Gina, seu pai Rolf e seu irmão Ralf estão no hospital. Sua situação ainda é crítica, e é cedo para chegar a um prognóstico mais profundo. Nesta sexta-feira, o quadro segue o mesmo e os familiares consideraram desnecessário fazer um pronunciamento.

As primeiras análises feitas por peritos mostrariam que o alemão, pelas marcas deixadas na neve, passou por cima de uma rocha “escondida” pela neve. Um de seus esquis teria tocado na pedra e ele acabou escorregando, teve seu corpo projetado para o alto e caiu em seguida batendo fortemente com a cabeça em uma outra rocha, próxima de onde foi encontrada a poça de sangue.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.