Foram oito anos como piloto titular da Ferrari na Fórmula 1. Neste tempo, Felipe Massa foi companheiro de três campeões mundiais: Michael Schumacher, em 2006, Kimi Raikkonen, de 2007 a 2009, e Fernando Alonso, entre 2010 e 2013. Enquanto reza pela recuperação do ex-piloto alemão, que permanece em coma induzido após sofrer uma queda de esqui no fim de dezembro nos Alpes Franceses, o brasileiro já projeta seu novo momento na Williams, onde espera ter condições de brigar por pódios. E avalia a nova dupla de suas antiga equipe, que contará com o finlandês e o espanhol em 2014. Conhecendo ambos muito bem, Massa garante que o time tem grande potencial, mas é preciso cuidado.

Leia também:  Atleta rondonopolitana é ouro no salto em altura

– São dois excelentes pilotos, e não tenho o menor problema em dizer isso. São dois pilotos incríveis, dentro da pista sabem o que fazem. Sem dúvida, pode ser um bom grupo para a Ferrari. Mas, no trabalho fora, não vai ser muito fácil, na minha opinião. Não é difícil que aconteça algum tipo de problema, mas não podemos dizer que não são dois excelentes pilotos – frisa Massa, vice-campeão mundial em 2008.

Alheio aos possíveis problemas envolvendo Fernando Alonso e Kimi Raikkonen, Felipe está mais preocupado em resgatar os bons tempos da Williams. O time detém sete títulos de pilotos e nove de construtores, mas não termina um Mundial entre os três melhores há 11 temporadas, e vem de um nono lugar no último campeonato, à frente apenas das nanicas Marussia e Caterham. A meta imediata é voltar ao pódio, feito que a Williams só conseguiu quatro vezes nos últimos 159 GPs – ou oito anos e meio. Será que o terceiro lugar no Kart das Estrelas é interpretado por Massa como um bom presságio?

Leia também:  Circuito de Tênis começa nesta quarta em Cuiabá

– É difícil ver um piloto que não tenha uma superstição, que não faça alguma coisinha, como entrar no carro por um lado ou pelo outro. Eu sou, e em muitas coisas que eu faço. Começar o ano no pódio é sempre bom. Preferia estar no lugar do Liuzzi (vencedor da edição 2014 do Kart das Estrelas), mas já é ótimo esse terceiro lugar. Espero voltar a pódio na Fórmula 1, o que sem dúvida é uma expectativa até grande, pelo ano que a Williams teve, que não foi bom. Mas é outro ano, outro regulamento, tudo muda e vamos tentar trabalhar o máximo possível para voltar ao pódio, se possível ainda neste ano – explica o brasileiro, que está na Fórmula 1 desde 2002.

Leia também:  Brasil dá show em Cuiabá e avança no Grand Prix
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.