Antes e depois da vítima que teve o rosto desfigurado - Foto: divulgação da PM com autorização da vítima
Antes e depois da vítima que teve o rosto desfigurado – Foto: divulgação da PM com autorização da vítima

A vítima Creiniane Macedo foi brutalmente agredida e teve o rosto desfigurado por uma tesoura. O caso aconteceu na madrugada desta quarta-feira (01), em um sítio próximo ao município de Pedra Preta. O suspeito de cometer a brutalidade é o professor de Educação Física, Marcus Moraes Macedo, ex-companheiro da vítima.

Para a reportagem do Site AGORA MT, Creiniane disse que foi casada com Marcus quatro anos e que há um mês estava separada, porém moravam ainda na mesma residência.

“Ele chegou lúcido por volta das 5h30 da manhã e trocou de roupa. Tudo aconteceu muito rápido, ele me agarrou e começou a cortar meu cabelo e me machucar”, pontua.

Segundo Creiniane, durante a agressão Marcus dizia “Eu não quero te matar, mas você vai sair desse casamento ‘bonita’ ”.

Leia também:  Mulher tenta entrar com droga dentro da Mata Grande

“Depois de cortar meu cabelo, ele começou a cortar meu rosto, 1º a testa e depois as bochechas, ainda tentei me defender e com isso ele cortou minha mão também”, relata a jovem que perdeu o movimento do dedo médio.

Durante a agressão, o filho do casal tentava defender a mãe, porém a criança era empurrada pelo agressor que continuava a agredir Creiniane. O sangue da vítima ‘esguichava’ no rosto de Marcus.

Ainda conforme a vítima em entrevista ao Site AGORA MT, não satisfeito, Marcus abriu a tampa do motor da moto da vítima e colocou o cabelo cortado, sujo de sangue, dentro da peça, junto com cascalho. Após desfigurar o rosto da jovem, o suspeito a soltou e fugiu sentido a Rondonópolis.

Leia também:  Policiais estoura boca de fumo e apreende seis com objetos furtados

A vítima teme que o agressor não seja punido, já que ele vivia se’ gabando’ em Pedra Preta, por ser filho de advogado e parentes de empresários em Rondonópolis.

“Meu filho ficou todo sujo de sangue, ele ficou tão traumatizado que  não posso pegar ele no colo, porque está com medo dos pontos no meu rosto”, finaliza a vítima que teve mais de 15 pontos no rosto.

Professor suspeito de cometer o crime
Professor suspeito de cometer o crime – Foto: reprodução
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.