As 107 reeducandas da Cadeia Pública Feminina de Rondonópolis recebem nesta segunda-feira (13) um mutirão organizado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para oferecer um melhor acompanhamento às mulheres do local.

De acordo com a técnica do Programa de Saúde Prisional da SMS, Lenir Gavilan, o objetivo é fazer o mutirão mensalmente com os mais variados tipos de exames possíveis e dessa forma evitar alguns problemas que por falta de prevenção resulta do deslocamento das reeducandas até as unidades de saúde. Tendo em vista que a cadeia não possui um profissional da saúde para oferecer acompanhamento constante.

A diretora da Cadeia Feminina, Noraney da Silva Alves, disse que o mutirão é muito válido e há muitos anos vem cobrando uma forma de garantir o direito à saúde das reeducandas, em razão de não possuírem um médico ou um enfermeiro que façam acompanhamentos diários.

Leia também:  Condutor e passageiro são presos com 135 kg de cocaína em fundo falso de caminhonete

Noraney ressalta que ações voltadas para a saúde, educação, trabalhos e religião costumam ser bem vistas pelas reeducandas e amenizam os conflitos internos, além de ser uma forma de promover a ressocialização das presas.

O mutirão contou com a participação dos profissionais dos Postos de Saúde da Família do Jardim Atlântico e Europa. Até o momento as reeducandas recebiam uma visita médica a cada 15 dias e quando precisavam de atendimento eram escoltadas até uma unidade de saúde.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.