A parceria entre a Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e a Universidade Autônoma Gabriel René Moreno foi renovada, em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. O Termo de Cooperação foi assinado pelos reitores professor Adriano Silva e Saúl Ferrufino e o prefeito Zé do PT de Porto Esperidião e o presidente da câmara, Lorgio Castedo, representante do prefeito de San Ignácio de Velasco.

O TC agora renovado foi readequado à nova realidade vivida pelas universidades dos dois países. O original datava de 2006. “De lá para cá muita coisa mudou como, por exemplo, a criação do programa “Ciência sem fronteiras” do Governo Federal brasileiro e dos cursos de pós-graduação ofertados pela Unemat”, citou o vice-reitor Dionei Silva.

Leia também:  Trabalhador morre após receber descarga elétrica durante serviço

Entre as questões acordadas foram contemplados com o novo TC o intercâmbio entre acadêmicos, professores e pesquisadores; a cooperação entre trabalhos de pesquisa; e, o desenvolvimento de atividades específicas. O reitor boliviano Saúl Ferrufino disse estar bastante satisfeito com o novo termo de cooperação e o professor Adriano Silva, acredita na possibilidade do desenvolvimento econômico para a região de 750 km de fronteira seca entre o Brasil e a Bolívia, a partir desta assinatura.

Tanto Zé do PT quanto Lorgio Castedo são grandes incentivadores deste acordo, lembrou Dionei Silva. “A região de fronteira é carente de desenvolvimento social, econômico, educacional e esta interação promoverá ganhos aos dois países. Este acordo pode ser um marco de desenvolvimento em todos estes aspectos”, afirmou Dionei.

Leia também:  Pela primeira vez, Rally dos Sertões acontecerá em Mato Grosso

A visita às dependências da universidade, que possui mais de 80 mil alunos, e às unidades de cursos reuniu 55 pessoas e foi encerrada nesta quarta-feira (29); além do reitor e do vice-reitor da Unemat, o pró-reitor de Planejamento, o professor Francisco Lledo, acompanharam a comitiva.

Parte Técnica

Após a assinatura do TC, a próxima etapa fica por conta dos professores e pesquisadores de ambas universidades que juntos traçarão ações a serem desenvolvidas em prol da fronteira dos dois países. Pesquisadores do curso de História da Unemat há algum tempo trabalham esta interação, que também será fortalecida agora.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.