O sindicalista João Eudes afirma que o Governo não tem cumprido o acordo com a categoria – Foto: Aécio Morais /AGORA MT
O sindicalista João Eudes afirma que o Governo não tem cumprido o acordo com a categoria – Foto: Aécio Morais /AGORA MT

Antes de terminar o calendário escolar de 2013 o Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) já cogita a possibilidade de greve para o ano letivo de 2014. Nesta quinta-feira (23) profissionais da educação realizam manifestações em todo Estado.

Em Rondonópolis os professores efetivos e contratados percorreram a região central da cidade, onde distribuíram panfletos expondo os motivos do descontentamento da categoria com o Governo do Estado, que não cumpri o acordo firmado para o fim da última greve e também pela possibilidade da não remuneração dos contratados, que podem não receber pelos dias trabalhados este ano, para a conclusão do calendário escolar de 2013.

Segundo o secretário de comunicação do Sintep em Rondonópolis, João Eudes Anunciação, no município há aproximadamente 2 mil professores que são contratados e não tem a garantia de pagamento da reposição das aulas.

Leia também:  Camarote tem princípio de incêndio na 45ª Exposul

Contudo João Eudes acrescentou outros pontos do acordo que não tem sido cumpridos pelo Governo, como a redução no orçamento para educação, a aplicação inferior a 25% dos recursos da Educação conforme previsto na constituição do Estado e o corte de licenças prêmios dos servidores.

A categoria ainda realizará uma assembleia geral, possivelmente no dia 10 de fevereiro, onde será avaliada a atitude do Governo e o cumprimento do acordo com o Sintep. O início da greve irá depender da decisão dos professores no decorrer deste período.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.