Quatro técnicas de enfermagem, que trabalham na penitenciária Major Eldo de Sá, Mata Grande, em Rondonópolis, foram trancadas na noite desta quarta-feira (22) pelos agentes penitenciários dentro da unidade prisional.

Depois que foram liberadas e já do lado de fora do presídio, as mulheres falaram com a imprensa, mas não quiseram se identificar por receio de represálias.

Segundo o relato das vítimas, quando elas perceberam que estavam trancadas junto com os reeducandos ficaram apreensivas, já que se ambas gritassem que estavam lá, iriam alarmar os presos.

“Me senti uma isca”, diz uma das vítimas.

Ainda conforme as mulheres, a enfermaria é dividida com o restante das celas apenas por uma parede, e elas só conseguiram contato, porque uma delas foi até outro setor, onde o celular teve sinal e mandou uma mensagem via whatsApp para um familiar.

Leia também:  Guiratinga | Três são presos suspeitos de furtos e receptação na cidade

Após a chegada da imprensa, as mulheres foram liberadas. Os agentes não informaram o motivo do trancamento, apenas disseram que o responsável se pronunciaria hoje (23).

“Ficamos assustadas, porque eles não falaram nada e nem pediram desculpas”, lamenta uma das vítimas.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.