A América Latina Logística (ALL) está preparada para o escoamento da safra mato-grossense de grãos 2013/14 pelos terminais ferroviários que transportam os produtos do estado até o Porto de Santos. Com a inauguração de mais sete tombadores e mais 60 mil toneladas de armazenagem de grãos no Terminal da ALL em Rondonópolis, a companhia passou a operar com 70% a mais de capacidade de descarga rodoviária, o que melhora o giro dos caminhões no Terminal e a produtividade de carregamento ferroviário.

Os sete tombadores funcionam simultaneamente, com autonomia de descarga de 70 caminhões por hora, um total de 1.500 caminhões por dia. Além do Terminal da ALL, também já está em operação o Terminal da Noble dentro do Complexo Intermodal de Rondonópolis (CIR) para descarga rodoviária. Para 2014, está prevista a construção de outros Terminais no Complexo, incrementando ainda mais a capacidade estática e a produtividade na recepção de caminhões (tombadores). A previsão é que somente pelo CIR sejam escoados mais de 10 milhões de toneladas de grãos por ano.

Leia também:  População reclama de projeto de lei que muda nome de rua em Rondonópolis

Segundo o gerente de Terminais da ALL em Mato Grosso, Ivandro Paim, a ferrovia é o meio mais eficiente para levar grãos até os portos. “O terminal de Rondonópolis vai ajudar muito no escoamento da safra do estado, aumentando a área de armazenagem que é escassa na região. Estamos preparados para receber a próxima safra, com capacidade de carregamento de 120 vagões a cada 3,5 horas”, disse.

Além de aumentar a capacidade estática de descarga rodoviária e de carregamento ferroviário no terminal de Rondonópolis, a ALL também tem trabalhado para garantir um fluxo compatível de caminhões na rodovia. No início de 2013 foi desenvolvido e implantado um Sistema de Agendamento Rodoviário para que a chegada de caminhões seja cadenciada e de acordo com a capacidade de todo o sistema (porto, ferrovia e terminal). É liberada uma quantidade diária limitada de senhas para o agendamento da chegada de caminhões no Terminal, impedindo a geração de fila nas rodovias.

Leia também:  Fuga em massa na Mata Grande, muro é explodido e 32 fogem

O gerente destaca que por meio do Sistema a ALL está conseguindo melhorar o planejamento logístico, e otimizar o giro dos caminhões e o carregamento dos vagões no terminal. Isso reduz o tempo de espera dos motoristas para descarregar e evita filas. “Estamos fazendo a nossa parte para que o escoamento da safra seja um sucesso, no entanto, para que tudo funcione corretamente precisamos do envolvimento de todos, ou seja, empresas, caminhoneiros e seus sindicatos, prefeitura, governos federal e estadual, entre outros, garantido assim que o Terminal possa executar sua real capacidade”, concluiu Ivandro Paim.

ESTRUTURA

A pavimentação asfáltica do pátio do terminal de Rondonópolis, com capacidade para 500 caminhões, já foi concluída. O local oferece aos caminhoneiros restaurante climatizado com cardápio definido por nutricionista e capacidade para atender mais de 500 pessoas simultaneamente, além de 40 banheiros e 40 chuveiros, sala de descanso, área de lazer e bebedouros.

Leia também:  Blitz Seletiva | 100% das abordagens de veículos constataram irregularidades em Rondonópolis

Esta infraestrutura é suficiente para o volume atual de cargas do terminal e será reforçada ao longo dos próximos anos com a ampliação da área comercial e demais empresas que vão se instalar no Complexo Intermodal.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.