Avesso às redes sociais, o tetracampeão Sebastian Vettel recorreu a um meio mais tradicional para demonstrar apoio ao compatriota Michael Schumacher, que está em coma desde que sofreu um acidente de esqui no último dia 29, em Méribel, na França. Em carta publicada no jornal “Sport Bild”, o alemão de 26 anos expressou tristeza pelo estado de saúde do heptacampeão mundial, mas ressaltou que está confiante pela recuperação do ex-piloto da Ferrari.

– Quando tive notícias do acidente de Michael, fiquei profundamente comovido. Se alguém é capaz de conseguir o impossível, este é você. Por favor, por favor, consiga de novo – escreveu o tetracampeão mundial.

O prodígio da RBR, que sempre fez questão de apontar Schumi como uma de suas principais fontes de inspiração na Fórmula 1, aproveitou a carta para relembrar o primeiro encontro com o ídolo, no longínquo ano de 1994. Na ocasião, o ex-piloto havia acabado de conquistar seu primeiro título mundial e foi encarregado de entregar o troféu ao vencedor do campeonato de kart da Renânia do Norte-Vestfália, Sebastian Vettel, então um garotinho de apenas sete anos.

Leia também:  Circuito de Tênis começa nesta quarta em Cuiabá

– Naturalmente, lembranças como estas vieram à tona. Quando ele veio e se posicionou diante de mim, simplesmente não sabia o que dizer – relembrou Vettel, que é frequentemente apontado como sucessor de Schumi entre grandes campeões da F-1.

De mentor a fã, Schumacher sempre demonstrou orgulho pelo sucesso precoce de Vettel na Fórmula 1. Em entrevista publicada no final de novembro, o veterano se mostrou impressionado pelo desempenho extraordinário do antigo pupilo na temporada 2013, quando o piloto da RBR conquistou seu quarto título mundial com quatro etapas de antecedência. Schumi ressaltou que se sente feliz pelos números e recordes conquistados por seu jovem compatriota.

Leia também:  União começa neste domingo sonho de voltar à Copa do Brasil

– Se alguém pode quebrar todos os meus recordes, então eu prefiro que Vettel seja essa pessoa. Eu fiz o que eu fiz na minha época. Ele está fazendo o mesmo no tempo dele. E eu fico muito feliz por isso – disse Schumacher à época.

A relação de Schumacher e Vettel nas pistas não se limitou às três temporadas da segunda passagem do heptacampeão pela Fórmula 1, desta vez pela Mercedes. Os alemães formaram a dupla mais vencedora da história da Corrida dos Campeões, colocando a Alemanha na liderança da Copa das Nações nas últimas seis edições. Em busca do sétimo título, Schumi chegou a confirmar sua participação na prova de 2013, que acabou sendo cancelada por causa de problemas políticos na Tailândia.

Leia também:  Meninas do vôlei vencem a primeira em Cuiabá

Recordista de títulos da F-1, Michael Schumacher completou 45 anos no último dia 3. Internado em estado crítico, porém estável, o heptacampeão recebeu demonstrações de carinho e apoio dos fãs, que fizeram uma vigília na entrada do hospital, em Grenoble. Nesta quarta-feira, a polícia francesa divulgou as primeiras conclusões da investigação do acidente de esqui. O procurador Patrick Quincy, responsável pelo caso, evitou falar em imprudência por parte de Schumi, e disse que ele esquiava em uma velocidade razoável.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.