Depois de eliminar o campeão das últimas três edições do Aberto da Austrália, Novak Djokovic, Stanislas Wawrinka conquistou outro feito importante em Melbourne nesta quinta-feira. Em um confronto equilibrado de semifinal e que teve três tie-breaks consecutivos, o número 8 do mundo derrotou o tcheco Tomas Berdych por 3 sets a 1 e se classificou pela primeira vez à uma final de Grand Slam. As parciais foram favoráveis ao suíço por 6/3, 6/7(1), 7/6(3) e 7/6(4).

Ambos os tenistas mostraram excelência no saque durante a maior parte do confronto. A partida teve 39 aces – 21 de Berdych e 18 de Wawrinka. Porém, nos momentos mais decisivos, o 7º do ranking da ATP cometeu duplas faltas cruciais: duas no tie-break do terceiro set e uma no final do game de desempate da quarta parcial.

– Não sei o que dizer. É incrível. Estou trabalhando todos os dias para vencer os jogos. Não esperava fazer uma final de Grand Slam. Isso está acontecendo e estou muito feliz – disse Wawrinka, ao final da partida.

Leia também:  Cuiabá, Sinop e Sorriso lideram ranking estadual de tênis de MT

Em situação inédita na carreira, Wawrinka vai brigar pelo título do Aberto da Austrália ou contra o espanhol Rafael Nadal ou contra Roger Federer, que fazem a segunda semifinal do Grand Slam australiano nesta sexta-feira, às 6h30m (horário de Brasília), com acompanhamento em tempo real do GloboEsporte.com.

Além de se classificar para a decisão, Wawrinka colocou pressão sobre Federer. Com a campanha até a final em Melbourne, o número 8 do mundo tem grande possibilidade de se tornar o tenista mais bem ranqueado da Suíça. Dono do posto de forma ininterrupta desde 2001, Federer precisa derrotar Nadal nas semifinais e ainda vencer o que seria uma final suíça para se manter à frente do compatriota no ranking da ATP.

– Roger me mandou uma mensagem à noite (de quarta-feira) e disse que estava muito feliz porque dois suíços estavam nas semifinais. Eu respondi: “para você é normal” – brincou Wawrinka, relembrando a vitória de Federer sobre Andy Murray na última quarta.

Leia também:  FMF confirma participação na Copa do Brasil de Seleções Estaduais Sub-20 da CBF

O jogo

Uma semifinal de Grand Slam com Berdych e Wawrinka não é muito comum no tênis. Tanto que era a quarta vez que o tcheco chegava nessa fase (primeira em Melbourne) e a segunda que o suíço a alcançava (também a primeira em Melbourne). Por isso a partida foi muito estudada. Wawrinka só venceu o primeiro set com uma quebra que conseguiu com um erro do adversário. Confirmou o serviço e saiu na frente do confronto.

No segundo e no terceiro sets, ficou evidenciado o poder de saque dos dois tenistas. O aproveitamento de pontos em primeiro serviço era alto para ambos. Wawrinka chegou até a mandar três aces em sequência na segunda parcial. Foram dois tie-breaks consecutivos, e cada jogador levou a melhor em um. Enquanto Berdych movimentou bem a bola para dominar o primeiro game de desempate e igualar a partida, Wawrinka contou com duas duplas faltas do oponente no segundo tie-break para se colocar novamente à frente do placar geral.

Leia também:  Seleção masculina de futsal brasileira disputará amistosos em Mato Grosso

Apesar dos deslizes de Berdych, a mão dele – e também de Wawrinka – estava calibrada no saque. O quarto set começou, e já havia 30 aces anotados na partida (16 do tcheco e 14 do suíço). Depois de um primeiro game demorado, os tenistas novamente alternaram os games ganhos até chegarem a mais um tie-break. Berdych começou a disputa errando o tempo de bola num voleio. Depois cometeu uma dupla falta, a terceira dele em games de desempate. Ficou difícil para o tcheco se recuperar. Wawrinka ainda fez o 39º ace do jogo e deu emoção com uma dupla falta, mas garantiu a classificação com uma devolução do adversário para fora.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.