Já não é a 1ª vez que a Promotoria de Comunicação Social da Prefeitura de Rondonópolis se perde diante do seu real papel de informar os veículos de comunicação do município, quando estes solicitam informações oficiais para cumprir a boa regra do jornalismo de ouvir sempre as duas versões de um evento.

Desta vez a redação do AGORA MT  apurava o fechamento da Biblioteca Municipal localizada no centro da cidade, mais especificamente na avenida Cuiabá, quando foi solicitado a Promotoria de Comunicação Social um posicionamento oficial sobre o fechamento da biblioteca. A solicitação foi feita a jornalista Cláudia Oliveira, que informou ao repórter que forneceria a resposta a sua pergunta ainda na manhã desta quarta-feira (12).

A redação do AGORA MT e o jornalista responsável por apurar a reportagem aguardaram em vão toda a manhã a resposta da jornalista Cláudia Oliveira, que ao invés de atender a solicitação do companheiro de profissão, que como bom profissional agiu com imparcialidade,  decidiu encontrar uma saída para, quem sabe talvez, ocultar os reais motivos do fechamento da Biblioteca e produziu uma matéria e distribuiu para outros veículos, evitando assim que a apuração da matéria do AGORA MT pudesse encontrar falhas ou irregularidades no fechamento da Biblioteca.

Leia também:  De pijama

O AGORA MT não entende o porque da Promotoria de Comunicação ter agido desta forma, sonegando informações e emitindo notas e realeses antecipando matérias deste veículo que tem por dever informar aos milhares de internautas, e neste caso especialmente de Rondonópolis, de fatos que podem ultrapassar a linha de legalidade ou da moralidade.

Apesar da falta de bom senso, do respeito profissional e da boa convivência que  devem permear entre os assessores e os veículos de comunicação, e que neste e em outros momentos foi simplesmente deixado de lado pela Promotoria de Comunicação da Prefeitura, o AGORA MT irá publicar abaixo a resposta, literalmente, produzida pela assessoria, mas deixando ao leitor a decisão sobre se os motivos apresentados após horas de manipulação de informações são os reais motivos para o fechamento da Biblioteca Municipal.

Na íntegra

Secretários e Procurador aguardam nova vistoria para encaminhar reforma de prédio 

Apesar da decisão preventiva do secretário de Cultura do Município, Luciano Carneiro, de paralisar nesta semana as atividades na Biblioteca Municipal, que fica no piso inferior da Secretaria de Esportes devido a problemas na estrutura do prédio, o comandante do andar de cima, Sidnei Fernandes, ainda aguarda uma nova vistoria técnica de engenheiros da Secretaria de Infraestrutura – Sinfra, que ocorrerá na tarde desta terça-feira (12), para confirmar ou não a mudança da sede da pasta de Esporte, enquanto ocorre uma eventual reforma. A necessidade de uma obra no prédio que pertence ao Governo do Estado e é cedido em regime de comodato ao Município, já foi previamente detectada por outra vistoria realizada em 2013. Uma reunião entre Melquíades Neto, chefe da Sinfra, Sidnei e o procurador geral do Município, Fabrício Miguel, nesta manhã (12), selou o encaminhamento da solução administrativa para o local.

Leia também:  Metralhadora giratória

De acordo com Fabrício, o contrato de comodato será estudado antes de qualquer ação ou investimento do Município, já que não se trata de um bem da prefeitura. “Apesar de termos responsabilidade na manutenção do prédio, não podemos, de acordo com determinação do Tribunal de Contas do Estado – TCE, fazer grandes obras em locais que não sejam patrimônio do Município. Vamos analisar o contrato para que possamos definir qual a melhor saída, quem sabe um novo convênio com o Estado, já que pretendemos continuar usando o local e ainda temos contrato em vigência”, explicou o procurador.

Em relação a desocupação, o secretário Sidnei afirma que aguarda a nova vistoria e que se for detectada nesta a urgência da saída hoje ainda paralisa as atividades. “Sabemos da existência de uma rachadura, até porque é um prédio antigo. Até onde vai o risco disso vamos esperar ver o que a Sinfra nos atesta, se o caso for sair, faremos ainda hoje pela proteção a integridade física de nossos servidores”, defendeu, ainda sem citar qual seria o possível destino temporário.

Leia também:  Vai pro banheiro pra esquematizar

A fissura, de acordo com o relatado na primeira vistoria do ano passado, encontra-se no piso do prédio superior e fica sobre uma viga de sustentação, instalada entre os andares. O mesmo engenheiro que acompanhar a vistoria, de acordo com o secretário Neto, já iniciará a elaboração do projeto quanto às necessidades de reforço estrutural que será necessário no prédio. “O que podemos garantir agora é a planilha de reforma. Após isto, entregaremos o orçamento ao secretário de Esportes para que proceda com a captação de recursos”, finalizou Neto.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.